sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Minas Gerais decide o Brasil

Lula lança Pimentel a governador

Prestem muita atenção a Minas Gerais...

Finalmente e por falta de candidato paulista, Minas Gerais vai ter um candidato tucano/PSDB à presidência da república. Mesmo Aécio sendo um tucano não assimilado pelos paulistas.

Dilma, além de já ser presidente, é mineira e com longa história no Rio Grande do Sul. Dois estados que disputam hegemonia com São Paulo. O Rio de Janeiro é importante, mas já está definido pró-Dilma.

A grande surpresa em 2014 pode ser Pimentel, ex-ministro e ex-prefeito, bem avaliado pela população.
O que facilita para Pimentel?
Seu adversário para governador. Indicar Pimenta da Veiga, homem de Fernando Henrique Cardoso para governador é querer perder a eleição.

Se Padilha crescer em São Paulo, 2014 pode significar a transformação do PSDB num partido pequeno. Aliás, o PSDB sempre foi pequeno, cresceu somente quando se ofereceu para ser o antipetismo. Isto é, ser o intelectual orgânico da direita brasileira.

Por tudo isto, prestem muita atenção a Minas Gerais.

Enquanto isto, vejam parte da matéria do jornal Valor de hoje:

Com Lula, PT lança Pimentel ao governo de MG

Valor – 14/02/2014
Por Marcos de Moura e Souza | De Belo Horizonte

O PT faz hoje em Minas Gerais uma festa que simbolizará o lançamento da pré-candidatura de Fernando Pimentel ao governo do Estado. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem a Belo Horizonte para o ato. Depois de três anos como ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Pimentel terá a missão de bater o PSDB, que governa Minas desde 2003.

As eleições no Estado terão um significado especial na campanha presidencial. Minas Gerais é a base eleitoral do senador Aécio Neves (PSDB-MG), hoje o principal adversário da presidente Dilma Rousseff, do PT, nas eleições de outubro.

Embora Aécio seja prestigiado em casa e o governador Antonio Anastasia tenha um governo bem avaliado, o PSDB enfrenta até agora um problema local: desde o ano passado, todas as pesquisas de intenção de voto apontam que os mineiros não estão dispostos a eleger um tucano novamente. Preferem Pimentel, do PT, para governador.

Pimentel vem liderando com folga as sondagens. Aparece sempre na faixa dos 30% de intenção de voto. Pesou a seu favor o fato de o PSDB ter demorado muito tempo para apontar quem seria seu candidato. O escolhido finalmente foi Pimenta da Veiga, ex-ministro das Comunicações no governo Fernando Henrique, que será apresentado como pré-candidato na semana que vem, no dia 20, num ato em Belo Horizonte.

Veiga está na faixa dos 10% das intenções de voto. Diz que conta com a ajuda de Aécio e Anastasia - que deverá ser candidato ao Senado - para conquistar mais eleitores. Mas sua candidatura ainda suscita dúvidas se será forte o suficiente para fazer frente à de Pimentel.

Uma terceira candidatura ao governo de Minas, a do PSB, continua sendo uma incógnita. O nome mais forte do partido é o do prefeito reeleito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, que diz que pretende manter-se no cargo até o fim da gestão. Setores do partido - que tem o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, como provável candidato - defendem a candidatura em Minas. Ontem, no entanto, Lacerda disse que não vai se colocar contra o PSDB na disputa e que a tendência que vê é de seu partido apoiar Pimenta da Veiga.

Pimentel conta com muito menos partidos aliados ao seu: PRB e PCdoB e se tudo sair como os petistas esperam, o PMDB. Os petistas trabalham para alargar a aliança e falam em oito a nove minutos para Pimentel na propaganda gratuita. A vinda de Lula a Belo Horizonte terá também a função de azeitar melhor as conversas com os partidos que poderão compor com Pimentel.

O PMDB em Minas fala em candidatura própria e tem o senador Clésio Andrade como mais forte pré-candidato. Mas é a aliança com o PT já no primeiro turno o que integrantes da cúpula peemedebista defendem e com o que contam os petistas mineiros.

Se essa aliança se consumar, o PMDB teria, em tese, duas vagas à disposição na chapa de Pimentel: a de candidato a vice-governador e de candidato a senador. O partido tem três nomes na mesa: o do próprio Clésio Andrade, a do ministro da Agricultura Antonio Andrade e a do empresário do grupo têxtil Coteminas Josué Gomes da Silva.

O grupo de Aécio também conta com uma parcela do PMDB ao seu lado. Um tucano ligado ao senador disse à reportagem que seu partido dá como certo que dezenas de prefeitos, vereadores e deputados federais do PMDB mineiro farão campanha para a chapa do PSDB.

No ato de hoje em Belo Horizonte, o PT fará o lançamento do que está chamando de "Caravana da Participação": uma agenda de viagens pelo Estado, coordenadas por Pimentel, para "ouvir os mineiros sobre os seus problemas, seus desafios, seus sonhos", segundo o deputado federal Odair Cunha (PT-MG), presidente do partido em Minas. Essas consultas pelo Estado ajudarão o partido a compor o plano de governo do pré-candidato, disse Cunha.

Sobre o caso do chamado mensalão mineiro, Odair Cunha diz: "Nosso sentimento é que esse tema não fará parte do debate eleitoral porque é um tema que está na Justiça e como o PT criticou sobremaneira a forma como o processo ocorreu não é havendo um processo atabalhoado contra os tucanos que...não se trata de vingança".

Na semana passada, o procurador-geral, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que condene Azeredo a 22 anos de prisão por envolvimento no mensalão mineiro, descrito pela PGR como um esquema de desvio de dinheiro público para financiar a campanha do tucano à reeleição em 1998.

O pedido do procurador parece ter provocado mais efeito no PSB. Dirigentes do PSB - mineiros e também de outros Estados - passaram a reforçar a tese de que é melhor o partido se descolar dos tucanos em Minas para não prejudicar a campanha de Eduardo Campos a presidente da República. (Colaborou Fábio Brandt, de Brasília)

3 comentários:

  1. (sobre o contra-ataque à campanha da caixinha dos condenados - parte I)

    GILMAR MENDES, O BUFÃO DA REPÚBLICA

    É PRECISO INDIGNAR-SE...

    Autoridades da República menosprezam e ridicularizam nossa compreensão de vida, nossa cultura, nossos paradigmas, enfim, nossa cidadania. Entre aqueles que abusam de seu direito de expressão e nos brinda com suas hipocrisias e desatinos - dia sim, dia também - o ministro Gilmar Mendes não perde oportunidade. Em mais uma fanfarronice Mendes recebeu de resposta uma carta-aberta de um cidadão que resolveu demonstrar publicamente toda sua contrariedade, toda sua indignação.

    Na carta de Victor Hugo Barbosa - um assistente de Juiz de Direito de Execuções Criminais - o missivista diz que “Mendes caçoa das pessoas, caçoa da boa-vontade de inúmeras pessoas que por um ideal ou por boa-fé, resolveram arcar com o ônus suportado por pessoas que foram julgadas num rito processual que causa espanto a qualquer jurista mais comedido.”, e diz ainda: “O Eminente Ministro, por ser Ministro do Supremo Tribunal Federal, era de se esperar dele um maior conhecimento técnico e maior rigor em suas manifestações, sob pena de desinformar os jurisdicionados e, no mínimo, de afrontar nosso direito.”. A carta merece ser lida por inteiro, publicada pelo blog do Rodrigo Vianna.

    Digo eu: - Belíssimas palavras, oriundas do fundo da alma do Victor Hugo (dá para perceber) que clama pela justa e real 'Justiça', o que faltou em todo o processo, julgamento e condenação dos réus, aqueles que foram transformados em troféus da mídia, para farta distribuição aos ignorantes e estúpidos, auto declarados campeões de crença ingênua, infantil, no teatro mambembe montado numa sala do Supremo Tribunal Federal. E quem afirma isso nem sou eu, mas vários juristas, inclusive o Ives Gandra Martins, bem próximo dos tucanos.

    Ter lido sobre o "Caso do Capitão Dreyfus", que somente veio a público – e por isso propiciou a correção de uma grave injustiça, ainda que muitos anos depois – por força e obra do jornalista e escritor Émile Zola, um fato que comoveu e ainda comove o mundo até hoje, ocorrido na França do século XIX, permite-nos compreender a possibilidade dessa farsa ter ocorrido, e alivia-nos de pensar que tal barbaridade é obra e graça apenas do Brasil. Não é! Na verdade, o Brasil também é vítima desses ilustrados todos que se aboletam nos poderes da República.

    Pois se a França do final do século XIX, ela mesma a pátria-mãe do Iluminismo – movimento que eclodiu no século XVIII para colocar fim à barbárie da sociedade medieval – foi capaz de produzir um "mentirão" mais de um século depois da obra de Diderot e d'Alembert, compreende-se mais facilmente que depois de outro século nossos ministros e nossa mídia conseguissem copiar aquela farsa; e em pleno século XXI produziram o "mensalão" brasileiro, que na verdade é a repetição do “mentirão” do caso Dreyfus; acobertado na França pela guerra entre monarquistas e republicanos e, no Brasil, pela desfaçatez de nossas podres elites, que não se encorajam a disputar eleições sem a criação de pequenos e grandes golpes.

    (continua)

    ResponderExcluir
  2. (sobre o contra-ataque à campanha da caixinha dos condenados - parte II)

    GILMAR MENDES E SUAS BRAVATAS

    Gilmar Mendes está abrindo mais essa bravata com a doação voluntária aos condenados do nosso “Mentirão” para tentar esconder a Correição que o CNJ – Conselho Nacional de Justiça – vai realizar no Tribunal de Justiça da Bahia, onde houve a contratação do IDP – Instituto Brasileiro de Direito Público, empresa que tem como proprietário o mesmo Gilmar. Segundo o Ministro-Corregedor do CNJ, Francisco Falcão, tudo “vai ser apurado com todo o rigor. Doa a quem doer.”, referindo-se o corregedor ao fato de que em 21 de abril de 2012, por ato do seu presidente, desembargador Mário Alberto Simões Hirs, o TJ-BA ter contratado – SEM LICITAÇÃO – os serviços do IDP (o cursinho de direito do Gilmar Mendes) por R$ 10.520.754,54. E já em outubro, apenas seis meses depois, um aditivo elevou o valor total do contrato para R$ 12.996.811,00.

    O objeto da contratação da escolinha do professor Gilmar Mendes era dar cursos de capacitação para juízes e funcionários (do Tribunal baiano) se adaptarem às resoluções do CNJ. TREZE MILHÕES DE REAIS para dar cursinho de capacitação.

    Pelo visto, o Gilmar Mendes está preocupado com seus negócios escusos, e tenta disfarçar atacando as campanhas de arrecadação que não agradam ao seu humor. Gilmar é o expoente máximo, SUPREMO, da hipocrisia reinante na trágica elite brasileira!

    Não tem jeito! O ministro Gilmar Mendes é o "BUFÃO" da República brasileira.

    (FIM)

    ResponderExcluir
  3. Pior do que o ministro "bufão", é a imprensa transformá-lo em porta-voz da própria imprensa.
    É um fascista dando voz a outro...

    ResponderExcluir