quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Folha confirma crise da Abril

Jornal Valor dá mais detalhes

A grande notícia de ontem foi o furo jornalístico de Sonia Racy,
do Estadão, quando avisou em sua coluna que
a Abril estava negociando a venda da Abril Educação.

Hoje a folha confirma e ainda diz mais:

“Os negócios de educação passaram a ser uma fonte de receita complementar para o grupo em meio às dificuldades com os produtos tradicionais de mídia da companhia.”

Além desta matéria da Folha, leiam a matéria mais analítica no jornal Valor.
Como eu venho dizendo, o Brasil continua à venda, mesmo sendo o setor de Educação, Mídia, Advocacia, Publicidade, Minérios, Automóveis, etc. Nossos empresários são encubadores de negócios para, mais tarde, vender aos estrangeiros. Podem também chamar de “especuladores”...

Grupo Abril estuda propostas por sua divisão de educação

Itaú BBA e BTG vão ajudar nas negociações; ações da companhia sobem 6,8% na Bolsa
Folha – 12/02/2014

O Grupo Abril confirmou ontem que estuda propostas de investidores interessados pela sua divisão de educação e poderá repassar o controle do segmento.

Segundo a empresa, os bancos Itaú BBA e BTG Pactual foram contratados para auxiliar nas negociações. O comunicado divulgado pela companhia ontem confirma informação do jornal "O Estado de S. Paulo".
Com o anúncio, as ações do grupo subiram 6,8% na Bolsa de São Paulo.

A Abril Educação tem origem nas editoras de livros e material didáticos Ática e Scipione, compradas pela companhia no fim dos anos 1990. O segmento se tornou independente em 2010, ano em que o grupo adquiriu o Anglo.

Além das editoras e da rede de ensino, a divisão conta hoje com as escolas de idioma Red Baloon e Wise-UP e cursos preparatórios.

A empresa terminou o terceiro trimestre do ano passado com 570 mil alunos, receita líquida de R$ 178,4 milhões e um lucro de R$ 7,3 milhões.

Os negócios de educação passaram a ser uma fonte de receita complementar para o grupo
em meio às dificuldades com os produtos tradicionais de mídia da companhia.

Os negócios de mídia, distribuição e gráfica ficam concentrados na Abril S.A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário