segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

ALL e Cosan – Sob nova direção

Um grande negócio com pouca informação

O Brasil é realmente um país estranho. Pequenos problemas são noticiados com estardalhaço pela imprensa. Um grande caso como este, tirando o jornal Valor e o Estadão, passa de forma indiferente pela imprensa.

Nesta operação, além de se consertar privatização mal feita na época de FHC, significa que outros acionistas também perderam no longo prazo com investimentos vultosos. Aqui estamos falando de uma operação que envolve bilhões de reais. A oposição está quietinha, fingindo de morta... O governo está aliviado. E nós, os brasileiros? Como ficamos?

Parabéns aos jornais Valor e Estadão.
Leiam a matéria do Valor desta segunda-feira.

Cosan confirma proposta para incorporação da ALL pela Rumo

Por Fábio Pupo | Valor – 24/02/2014

SÃO PAULO - (Atualizada às 12h12) O grupo sucroalcooleiro e de infraestrutura Cosan confirmou nesta segunda-feira que apresentou ao grupo de concessões de ferrovias América Latina Logística (ALL) uma proposta vinculante para incorporação da ALL pela Rumo – braço logístico da Cosan — conforme antecipado pelo Valor em reportagens neste mês.

Segundo fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a proposta consiste na incorporação da totalidade das ações de emissão da ALL. Serão atribuídas aos atuais acionistas da Rumo 36,5% das ações da nova companhia. Os atuais acionistas da ALL ficarão com 63,5% do capital.

O texto destaca que a proposta considera um valor de referência para a ALL de R$ 6,958 bilhões, equivalente a um preço implícito de R$ 10,184 por ação, e para a Rumo de R$ 4 bilhões, o que corresponde a um preço implícito de R$3,90 por ação.

O comunicado informa que a Cosan será responsável por indicar a maioria dos conselheiros da companhia combinada.
A ALL deve submeter a proposta à deliberação de seu conselho de administração em até 40 dias a partir de hoje. Sendo aprovada a proposta, o conselho deve, então, convocar a assembleia geral, que será realizada em até 30 dias, para votar a respeito da incorporação de ações.

O comunicado ressalta que a associação é sujeita a condições, sendo três principais. A primeira delas é que a Rumo deverá obter seu registro de companhia aberta e, simultaneamente à operação, ingressará no Novo Mercado da BM&FBovespa.
A segunda é que o acordo deve receber das aprovações regulatórias por parte do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Por último, a proposta deve obter todas as aprovações societárias e de terceiros necessárias, na forma da legislação aplicável e dos estatutos sociais das companhias.

A Cosan avalia que a associação “permitirá a captura de sinergias e otimização da utilização dos ativos ferroviários e portuários das duas companhias bem como a realização de investimentos que levarão a malha ferroviária atualmente operada pela ALL para melhor aproveitamento da capacidade de originação e escoamento de cargas de cada empresa”.

Também nesta segunda-feira, a Cosan informou que vai propor aos acionistas a cisão parcial de seus ativos para a criação da Cosan Logística e da Cosan Energia.

A Cosan Logística será responsável pelo investimento na Rumo Logística e a Cosan Energia, pelos investimentos na Raízen, Comgás, Cosan Lubrificantes e Radar. Ambas as companhias terão capital aberto e serão listadas no segmento do Novo Mercado da BM&FBovespa.

A Cosan Logística deverá ser o veículo de investimento dos atuais acionistas da Cosan na Rumo Logística e, futuramente, caso seja aprovada a associação entre a Rumo Logística e a ALL, o veículo de investimento na companhia resultante desta associação.

O grupo nota que a cisão “proporcionará ao mercado maior visibilidade sobre a performance isolada de cada uma das companhias, permitindo aos acionistas e investidores uma melhor avaliação de cada ramo de negócio, d e forma a permitir a alocação de recursos de acordo com seus interesses e estratégia de investimento”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário