quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Jornal Valor se retrata sobre eleições



Bradesco elogia Dilma

Depois de o jornal Valor fazer longa matéria dizendo que os banqueiros apoiam os candidatos da oposição nas eleições presidenciais, sem dar os nomes dos banqueiros, agora vem com uma pequena matéria dizendo que o presidente do Bradesco declarou que o sistema financeiro está confortável com Dilma. 

Na verdade, o jornal reconheceu que pisou na bola. Fez campanha como a imprensa gosta de fazer, botando palavras na boca dos outros e ainda em off.

Ainda ontem à noite eu fiquei pensando sobre a matéria do jornal e cheguei a seguinte conclusão: O jornal está usando de meias verdades quando diz banqueiros. 

Imaginem que apenas cinco bancos controlam mais de 80% de todos os recursos financeiros no mercado nacional. São eles: 1 – Banco do Brasil; 2 – Caixa Econômica Federal; 3 – Itaú; 4 – Bradesco e 5 – Santander. 

Destes cinco bancos, dois são estatais, logo apoiam Dilma, o Bradesco e o Santander também apoiam Dilma. 

LOGO, só quem é oposição ao governo é o ITAÚ, que apoia o PSDB, Marina e tudo que for contra o PT. Apesar de nunca ter ganho tanto dinheiro na vida como ganhou nos governos Lula e Dilma. Lula, com seu capitalismo social de inclusão dos pobres no mercado de consumo nacional, é o melhor líder político que o Brasil já teve. Mas, a unanimidade é burra.... É natural que hajam ricos preferindo o neoliberalismo.

Tirando estes cinco bancos, dos demais, quem pesa é o BTG. Que é anfíbio, ora está com o governo, ora está com a oposição. O importante é ganhar dinheiro.

Apesar da matéria tímida, quero agradecer ao jornal Valor por ter se retratado e elogiar também a coragem do presidente do Bradesco. Os demais banqueiros deveriam sair do armário e se assumirem publicamente, faz parte da democracia os cidadãos terem suas posições respeitadas.Sem medo de serem perseguidos. Mais um mérito para Lula e Dilma, que nunca usaram a imprensa para detratar opositores.

'Setor financeiro está confortável com Dilma'

Por Assis Moreira | De Davos
Valor – 22/01/2014

O presidente do Bradesco, Luis Carlos Trabuco, disse ao Valor que a presença da presidente Dilma Rousseff nesta semana em Davos é positiva, ao resultar em algo elementar: relação com investidores, olho no olho, passando confiança e perspectivas. Ele acrescentou que "temos de ser mais amigáveis com o investidor estrangeiro porque, se fizermos o capital nacional e estrangeiro funcionar no Brasil, daremos um salto de qualidade".

Pouco antes da recepção de boas vindas aos participantes do Fórum de Davos, Trabuco disse que o setor financeiro está "confortável" com a presidente, sem comentar eventual apoio nas eleições.

 "Eu diria que a presidente Dilma tem um plano de governo. Ela tem um direcional", afirmou.

Trabuco observou que a inadimplência no Brasil está no menor nível dos últimos cinco anos - 3,9% na carteira total de empréstimos à pessoa física - e que a qualidade do crédito melhorou. Mostrou preocupação com a inflação de serviços, estimou que os juros estão "chegando num nível adequado" e disse que vê estabilidade do dólar por volta de R$ 2,35 a R$ 2,40. 

Para ele, "a sintonia entre as políticas monetária e fiscal vai ser o grande diapasão para 2014".

Nenhum comentário:

Postar um comentário