quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

ALL e Cosan: A montanha se moveu

Consertando privatização mal feita

Mais um passo foi dado no sentido de resolver o impasse criado com a incapacidade de a ALL investir e dar conta sozinha da demanda de escoamento de grãos do Brasil. O governo está usando todos os seus recursos diretos e indiretos para fazer uma nova composição no controle da ALL e assim agilizar nossa infraestrutura.

Se a Rede Ferroviária Federal não prestava, a ALL como está também não dá conta à nossa realidade.
Tem muita privatização para ser consertada. Bancos, telefônicas, mineradoras, eletropaulo-light, etc...

Dilma com a palavra. E FHC que se explique. Enquanto isto, leia a cobertura do Estadão, que está sendo a melhor...

Diálogo entre Cosan e ALL é reaberto

15 de janeiro de 2014 | 9h 25
MÔNICA SCARAMUZZO - Agencia Estado

SÃO PAULO - Um novo canal de comunicação foi aberto nesta terça-feira, 14, entre os dirigentes da Cosan e da América Latina Logística (ALL), mas nenhuma proposta concreta foi colocada à mesa durante reunião entre os dois grupos.
Na segunda-feira, 13, a Cosan informou, em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que sua controlada Rumo Logística "tem mantido tratativas preliminares com a ALL sobre uma possível combinação de suas atividades".
Enquanto o canal entre as duas empresas estiver aberto para uma eventual associação, o grupo de infraestrutura e energia deverá deixar em "stand-by" seus planos para atuar como operadora ferroviária independente, segundo fontes ouvidas pelo jornal O Estado de S. Paulo.
O grupo também manifestou interesse em fazer investimentos em operação portuária nas áreas de grãos, fertilizantes e celulose, como forma de avançar no setor de infraestrutura no País. Até o fim do ano passado, a empresa tinha sobre a mesa projetos "greenfield" (construção do zero) e "brownfield" (expansão de unidades já em operação) para expandir sua atuação no porto de Santos, o maior da América Latina.
Esses projetos começaram a ser analisados após as negociações entre Cosan e ALL para a entrada do grupo fundado por Rubens Ometto no bloco de controle da companhia férrea serem interrompidas, em agosto passado. Em outubro, a ALL questionou na Justiça o contrato fechado com a Rumo, em 2009, para transporte de açúcar. A companhia férrea buscava rever os volumes transportados.
Em nota à CVM, a ALL informou que "avalia soluções alternativas para a sua disputa judicial/arbitral com a Rumo, sem que se possa antever o resultado das mesmas, sendo um eventual arranjo societário com a Rumo apenas uma das potenciais alternativas, dentre outras possíveis, ainda em discussão entre as partes". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário