quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

São Paulo e a Violência

Está passando dos limites

Há dias que venho acompanhando as reclamações do blogueiro Eduardo Guimarães sobre a violência em São Paulo. Suas filhas foram assaltadas várias vezes...

Vejam o depoimento abaixo:

“Sinceramente, pessoal, estou muito assustado.
Um assalto à uma filha é uma coisa.
Dois assaltos violentos em 4 meses é muita coisa.

E a menina com o maior barrigão, grávida de 9 meses.
Os assaltantes bateram nela, grávida...

E, lógico, o instinto de qualquer pessoa normal passa a ser pregar repressão e violência policial. Não é essa a solução. Isso é loucura. Não adianta.

Alguém acha que bandidos cheios de crack na cabeça têm medo de violência policial?

A questão da desigualdade e da pobreza chegou a um limite no país.
Precisamos lutar contra a criminalidade no nascedouro.

Minha filha assaltada relata que era um casal na moto que a interceptou.
A moça era jovem, absolutamente drogada, caindo de tão drogada.
E jovem, bem jovem.
O rapaz que dirigia a moto era jovem, também.

Deixam crianças jogadas pelas ruas e depois que crescem
e se tornam monstros que atacam mulheres grávidas vamos reclamar.
A solução é tirar essas crianças da rua,
cuidar das crianças para não ter que prender os adultos.

Polícia nenhuma vai dar conta de tanto bandido surgindo.”

Triste São Paulo!

Além dos sequestros, roubos, furtos, assassinatos, corrupções, corruptores, manifestações na avenida Paulista, acampamentos no viaduto do Chá, taxistas irritados, trânsito parado e delatores virando heróis, o que mais falta em São Paulo?

O curioso é que o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad são parecidos. Fala mansa, calmos, sempre dizendo que vão resolver, que a polícia não está em greve, que a segurança vai melhorar, que o trânsito agora depende do ministério público, que o orçamento foi prejudicado por causa desta maldita mania de o ministério público se meter em tudo e coisa e tal.
O problema que já estamos de saco cheio desta baderna!

Como podemos desejar Feliz Natal?

Como iremos viajar e deixar nossos apartamentos e casas sem segurança?
Como iremos passar o Ano Novo na praia?
E a imprensa, só fala em eleições?

Talvez tenhamos que organizar milícias próprias, para autodefesa.

Nossa solidariedade a todos que foram assaltados, sequestrados ou violentados por este caos de São Paulo.

Nosso afeto carinhoso a Eduardo Guimarães e suas filhas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário