sábado, 28 de dezembro de 2013

Arrastão – 1965, a música migra para São Paulo

I Festival da TV Excelsior marcou a mudança

“Arrastão determina o nascimento do gênero música de festival, que tinha por modelo a temática com uma mensagem, como na letra de Vinícius; a melodia contagiante, como na música de Edu Lobo; o arranjo peculiar, que levantava a plateia, e a interpretação épica de Elis Regina.

Arrastão deu um novo rumo para a música popular brasileira (mais tarde alcunhada MPB) e foi o ponto de partida da música na televisão, um espaço que não existia antes. A despeito de a audiência não ter sido espetacular, a partir do Festival da TV Excelsior, a música brasileira pela TV não seria mais a mesma.

Nascia, embora timidamente, um novo gênero de programa de televisão, no qual a plateia se manifestava e torcia. Como no futebol, havia competição. Em vez de jogadores e times, cantores e compositores. Em vez de estádios, os auditórios.

Nascia uma nova torcida no Brasil, a torcida pelas canções.”

Gostaram do texto acima?

Faz parte do ótimo livro de Zuza Homem de Mello – A Era dos Festivais.

“Neste final de 1965, a situação da TV Excelsior era bem diferente da de 1963...

Era uma verdadeira máquina de divertimento de primeira linha,
levando a Excelsior a dividir a liderança com a Record nos últimos meses de 1963.

Mas, desde meados de 1964, a cena vinha mudando.“

Em 31 de março de 1964, com o golpe militar,
“a classe artística foi atingida desde logo,
com a prisão de Carlos Lyra, Dias Gomes e Mario Lago em abril de 1964.”

O II Festival da TV Excelsior, em 1966 já foi outra história...

Rio de Janeiro deixou de ser Governo Federal em 1960
e deixou de ser a capital da música em 1965.
Depois perderia os bancos, as empresas e até o futebol.


Nenhum comentário:

Postar um comentário