segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Nova pesquisa Ibope confirma Dilma Presidente

Quanto mais a imprensa bate, mais Dilma cresce

Vão mandar prender Dilma e cassar Lula?
O ódio da direita, da imprensa e da oposição neoliberal não impede que Dilma cresça a cada nova pesquisa.

É isto aí, Dilma, mantenha a serenidade, trabalhe, mostre resultados positivos e vamos modernizar este Brasil com crescimento econômico, distribuição de renda, melhora da educação, da saúde, do transporte coletivo e vamos articular uma reforma tributária e uma nova constituinte.

Prá frente é que se anda...
Vejam a última pesquisa Ibope, em parceria com o Estadão e a Rede Globo. Vão esconder?

Pesquisa Ibope mostra que
Dilma venceria eleição de 2014 em primeiro turno

Do UOL, em São Paulo 18/11/201318h20 > Atualizada 18/11/201319h21

A presidente Dilma Rousseff venceria em primeiro turno a disputa presidencial em todos os cenários válidos mostrados pela pesquisa Ibope realizada em parceria com o jornal "O Estado de S.Paulo" e as Organizações Globo.

A candidata do PT à reeleição não precisaria de um segundo turno para manter-se na Presidência da República contra os possíveis candidatos de oposição: o senador mineiro Aécio Neves ou o ex-governador de São Paulo José Serra pelo PSDB; o governador de Pernambuco Eduardo Campos ou a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva pelo PSB.

Na disputa contra Aécio e Campos, Dilma seria eleita em primeiro turno com 43% dos votos, contra 14% do tucano e 7% do socialista. No levantamento feito pelo mesmo Ibope --encomendado também pelas Organizações Globo e o jornal "O Estado de S.Paulo" há quase um mês--, Dilma anotou 41%, Neves tinha os mesmos 14% e Campos registrava 7%.

Se a escolha do PSB fosse a ex-ministra Marina Silva, e a do PSDB fosse Aécio, Dilma teria 42%, contra 16% da candidata do PSB e 13% do senador tucano por Minas Gerais. No levantamento anterior, a petista somava 39% contra 21% de Marina. Neves manteve-se no mesmo patamar de 13%.

No cenário em que Dilma enfrenta Serra e Marina, a presidente teria 40% das intenções de voto, contra 17% do tucano e 15% da socialista. Na pesquisa Ibope anterior, a petista registrava 39%, contra 21% de Marina e 16% de Serra.

Caso a petista enfrentasse Serra pelo PSDB e Campos pelo PSB, ela teria 41% das intenções de voto, enquanto Serra registraria 19%, contra 7% de Campos. No levantamento Ibope de outubro, Dilma tinha 40%, contra 18% do tucano paulista e 10% do socialista pernambucano.

Instituto repete levantamento com cenário "impossível"
O instituto voltou a pesquisar um quinto cenário --considerado impossível de acontecer em razão do prazo legal para a troca de partidos já ter se esgotado--, em que a presidente Dilma enfrenta todos os possíveis pré-candidatos de oposição.

Nessa simulação, a candidata do PT à reeleição teria 37% dos votos, contra 14% de Serra, 12% de Marina, 9% de Aécio e 4% de Campos. Na pesquisa anterior, Dilma registrou 35%, enquanto Marina tinha 16%; Serra, 13%; Aécio, 9%, e Campos, 5%.

Atual presidente bate todos adversários
em um eventual segundo turno


Nas simulações de segundo turno entre os pré-candidatos considerados pela pesquisa, a candidata do PT à reeleição vence todos seus adversários na oposição.

Caso Dilma enfrentasse Aécio, a petista teria 47% das intenções de voto contra 18% do tucano. No levantamento anterior, Dilma tinha os mesmos 47%, contra 19% de Aécio.

No duelo contra Marina, a atual presidente registra 42% contra 29% da socialista. Na pesquisa de outubro, a petista tinha 44% e a ex-ministra do Meio Ambiente 24%.

Em uma eventual repetição do segundo turno que decidiu a eleição de 2010, Dilma teria 45% contra 21% de Serra. Em outubro, a petista registrou 44%, e Serra, 23%.

A disputa entre a petista e o atual governador de PE, Dilma somaria 48% das intenções de voto, enquanto Campos teria 12%. O levantamento anterior mostrava a atual presidente com 45% contra 18% do socialista.

O levantamento foi feito entre os dias 7 e 11 de novembro, em 142 municípios de todas as regiões do Brasil. A margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário