segunda-feira, 7 de outubro de 2013

São Paulo – o lado bom e o lado ruim

Que passa com nosso Estado?

A Folha e a UOL destacaram ontem que, no quadro eleitoral atual, o Estado de São Paulo ficará fora da disputa presidencial pela primeira vez em 63 anos.

Será que São Paulo vai ficar fora da disputa?

Quem manda na política brasileira há mais de cem anos é o Estado de São Paulo. O único presidente que peitou São Paulo foi Getúlio Vargas, que acabou derrubado pelos militares e quando voltou à presidência preferiu suicidar-se a renunciar ou ser destituído novamente.

Collor não era de São Paulo mas foi bancado pelos empresários paulistas.
FHC é carioca, mas é paulista adotado e bom servidor.
Lula é pernambucano, mas é paulista de vida e de coração.

Aécio, seria um candidato das elites paulistas, mas tem muitos defeitos.
Eduardo Campos e Marina são candidatos do Itaú, das multinacionais e da Rede Globo.
Dilma, também representa São Paulo, embora seja durona, nunca deixou de fazer o que os empresários paulistas reivindicam. Mantega que o diga. Este conhece bem a elite paulista.

Portanto, não existe a possibilidade de alguém ser eleito contra São Paulo. A não ser que haja um levante social ou uma guerra civil. Que não estão no horizonte.

São Paulo foi o grande beneficiário do golpe militar de 64, foi também o maior beneficiário do governo neoliberal e privatista de Fernando Henrique Cardoso.

E, do ponto de vista de concentração do capital e da margem de lucro, os banqueiros e muitos empresários grandes, médios e pequenos, NUNCA GANHARAM TANTO DINHEIRO COMO FOI NO GOVERNO LULA. Mesmo com a política de distribuição de renda promovida por Lula e Dilma. Ser contra Lula e Dilma é preconceito e ingratidão do empresariado de São Paulo.

Se o Estado de São Paulo é este gigante que, quando fica gripado deixa o Brasil com tuberculose, por outro lado tem também coisas maravilhosas. Aqui estão as melhores Universidades do Brasil. Aqui estão as melhores estradas e as grandes cidades do interior que são maiores do que a maioria das capitais de estados do Brasil. Aqui é o coração do Sistema Financeiro Nacional.

A nossa cidade de São Paulo também tem coisas maravilhosas como a Sala São Paulo, a OSESP, o MASP, o Ibirapuera, tem três grandes jornais que se complementam, embora sejam todos conservadores.

Tem a Revista da Folha – chamada São Paulo – que neste final de semana publicou fotos maravilhosas das CRIANÇAS que cresceram em São Paulo. A própria foto da capa já é uma obra de arte, típica de um Cartier-Bresson. Uma coletânea de fotos maravilhosas.
Uma cidade que é a maior produtora de PIZZAS do mundo, a maior colônia japonesa fora do Japão, um mundo árabe, pacífico, onde os judeus deleitam-se nas comidas sírias e libanesas.

São Paulo com seus milhares de restaurantes, dezenas de salas de cinema, neste fim de semana tinham 65 filmes sendo exibidos, ao mesmo tempo, 17 peças de teatro, 21 shows e concertos. Aqui é uma metrópole do mundo, apesar de conservadora e muitas vezes provinciana. Aqui, cada um é cada um. Com sua liberdade e suas loucuras.

Aqui é o centro do Brasil, o ponto de partida e de chegada.

Neste sábado, quando nós fomos pela segunda vez ver a exposição na Pinacoteca, do artista da África do Sul, William Pitndge – Lacuna, havia um grupo de músicos tocando chorinho e uma grande plateia assistindo. A entrada era franca e tinha gente de todos os níveis sociais. Ricos e pobres, brancos e negros, adultos e crianças.
Esta é a nossa São Paulo que a gente adora.

Vejam esta foto.


A Pinacoteca é a nossa velha São Paulo, também é a cidade atual e de nossas esperanças.

2 comentários:

  1. ... mas o chorinho é carioca, hehe

    ResponderExcluir
  2. Em São Paulo não existe o genuinamente paulista.
    Aqui tudo é universal e brasileiro.
    Principalmente na arte e na culinária.
    Joel também é um carioca que adora Sumpaulo, como ele chama.

    ResponderExcluir