quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Mensalão e Ódio de Classe

Os capitães do mato, a direita e a imprensa

Os jornais continuam a estimular a execução sumária dos envolvidos juridicamente com o mensalão. Se no Brasil tivesse condenação à forca, a Imprensa convocaria o povo para assistir à execução em praça pública, como nos filmes americanos...

A imprensa, como porta-voz, dos que apoiaram o golpe militar de 64 e que hoje se sentem ameaçados pelo avanço popular, não aceita e nem admite que pessoas de origem pobre sejam os novos governantes. Só aceitam quando são meros “capitães-do-mato” que traem suas origens. A história do Brasil e do mundo está cheia de gente assim.

Se no Brasil houvesse Justiça, os erros seriam mensurados e as condenações seriam proporcionais aos erros cometidos.
Qual foi o erro de Genoíno? Confiar no tesoureiro? E vai ser preso por confiar no tesoureiro?

Os outros casos também merecem uma análise individual e em todos eles o exagero, o sadismo, o revanchismo medíocre está presente. Um país em que banqueiros roubam bilhões de reais e não são presos, um país onde a sonegação e o roubo fazem parte da sua história, de repente resolve condenar desproporcionalmente como forma de se vingar das derrotas eleitorais.

Este julgamento ficará registrado na nossa história, como ficaram o julgamento de Joana D´Arc na França e tantos outros casos. Depois, não adiantará fazer autocrítica como a Globo está fazendo. Os mortos não ressuscitam. As viúvas e os filhos que sofreram toda uma vida, não terão seus maridos e seus pais de volta...

Já registrei que reconheço que o PT errou ao fazer negócios com bandidos, como Roberto Jefferson, por acreditar que podia fazer o que os partidos faziam e fazem, usando os mesmos operadores. Um erro não justifica outro.Foram amadores...

Mas este processo, e a forma como está sendo feito, é um processo de ódio de classe. Este processo só ajuda a desacreditar nossa justiça e a mostrar que ela está a serviço dos ricos e dos reacionários.

Quando estes militantes históricos do PT forem presos, os demais militantes históricos irão visitá-los na cadeia. Mesmo a imprensa divertindo-se em vê-los lavando prato ou passando roupa, mesmo assim, ainda iremos visitá-los na cadeia. Este processo não acabará com o maior partido popular da História do Brasil.

Todos devemos aprender com os erros e os acertos.

No Brasil, quem rouba galinha continua sendo mais condenado do quem rouba o povo.
E os Amarildos continuam desaparecidos...

Talvez esta condenação sirva de exemplo para o dia em que o povo tiver realmente maioria absoluta no Congresso Nacional e assim faça sua Constituição, redefinindo os poderes e as formas de exercê-los. Inclusive com a regulamentação da Imprensa. Aí a Justiça poderá ser para todos.

Se a Igreja católica, que fez a Inquisição, que combateu a Teologia da Libertação e que abandonou os pobres, está se refazendo com o Papa Francisco, o Brasil, mesmo sendo um país onde as coisas só acontecem depois que já aconteceram no mundo, ainda assim, o Brasil superará sua elite medíocre e passará a ser uma grande nação.

Enquanto este dia não chega, podemos aguardá-lo trabalhando muito
e cuidando das pequenas flores das nossas ruas,
como as ruas da Vila Madalena.

Vejam estas minúsculas flores da nossa rua...


E estas boninas, tão raras nas ruas de São Paulo


E estas flores do Ipê amarelo, numa manhã triste de São Paulo.


Democracia não se ganha, conquista-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário