domingo, 25 de agosto de 2013

Morre Gylmar, o maior goleiro do Brasil

Quando eu nasci, Gylmar era do Corinthians

Com a morte de Gylmar dos Santos Neves, até aparecer outro Gilmar, considero-me o mais velho do Brasil. Quando eu nasci em 1953, Gylmar já era goleiro famoso no Corinthians, depois foi para o Santos onde ficou mais famoso ainda. Meu nome foi em homenagem ao grande goleiro "Gilmar".

Nas Copas de 1958 e 1962, o Brasil tinha o melhor goleador, Pelé, e o melhor goleiro, Gylmar. Ambos do Santos Futebol Clube, a maior lenda do futebol brasileiro no cenário internacional.

O Estadão saiu na frente com a noticia da morte de Gylmar.
Nesta segunda-feria, o Brasil vai falar muito do passado de glórias desta dupla.

Morre Gylmar dos Santos Neves,
goleiro bicampeão mundial com a seleção

Ex-jogador do Corinthians e do Santos havia sofrido um enfarte na última segunda-feira e estava em estado grave

25 de agosto de 2013 | 19h 08
Diego Salgado - O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO - O goleiro bicampeão do mundo com a seleção brasileira nas Copas de 1958 e 1962, Gylmar dos Santos Neves, morreu na tarde deste domingo no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O ex-jogador havia sofrido um enfarte na última segunda-feira e estava em estado grave. O quadro era irreversível, de acordo com familiares.

Gylmar havia completado 83 anos na quinta-feira e já sofria de problemas decorrentes de um AVC, que deixou 40% de seu corpo paralisado. O ex-goleiro nasceu em 22 de agosto de 1930, em Santos, e começou a carreira no Jabaquara. Gylmar jogou no Corinthians, entre 1951 e 1961, e fez 398 jogos pelo time do Parque São Jorge.

Depois, o goleiro defendeu o Santos, onde viveu sua melhor fase, conquistando o bi mundial com a equipe da Vila Belmiro ao lado de Pelé, Pepe e Coutinho. Pela seleção brasileira, Gylmar disputou 95 partidas oficiais, entre 1953 e 1969. Esteve em três Copas do Mundo (1958, 1962 e 1966). Com ele em campo, em Copas, o Brasil só perdeu uma partida em 14 disputadas - a última, contra a Hungria, no Mundial da Inglaterra em 66.

Gylmar também foi campeão paulista de 1951, 1952 (Corinthians), 1962, 1964, 1965, 1967 e 1968 (Santos), do Rio-SP de 1954 (Corinthians), 1963, 1964 e 1966 (Santos), além de festejar as conquistas santistas do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1968) e da Taça Brasil (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965).

Nenhum comentário:

Postar um comentário