sábado, 3 de agosto de 2013

Lula, a Imprensa e os Partidos

Os Partidos estão velhos, e a Imprensa?

Ainda bem que o Estadão publicou um bom espaço sobre a fala de Lula no Foro de São Paulo. A Folha deu uma notinha chula. Mas ficamos todos com a mesma impressão: Se os Partidos (de Esquerda e de Direita) estão velhos, o quê dizer da nossa velha Imprensa?

Vale a pena ler a matéria do Estadão.
É um bom puxão de orelha. Lula continua uma grande referência...
Vale para todos.

Lula: Partidos de esquerda estão ‘velhos’

Partido que está no poder não pode se afastar do povo, defende ex-presidente

03 de agosto de 2013 | 0h 50
Fernando Gallo - O Estado de S. Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, na noite desta sexta-feira, que um partido que chega ao poder não pode cometer o erro de perder sua relação com o povo. A explícita autocrítica do PT, repetida por Lula desde que eclodiram as manifestações de junho, foi feita em discurso no 19.º Encontro do Foro de São Paulo. O petista afirmou também que os partidos de esquerda da América Latina ainda fazem política "da forma antiga".

"O poder é uma coisa mágica (...). Há uma tendência de chegar ao poder e o povo que antigamente era bonito e extraordinário já não é mais", afirmou o ex-presidente. Lula criticou os partidos de esquerda europeus que, segundo ele, "estão definhando" e perderam o discurso porque ficaram semelhantes à direita. Sobre a esquerda na América Latina, afirmou que seus dirigentes foram "ficando velhos" e, agora, se perguntam ‘cadê a juventude dos nossos partidos?’.

O Foro de São Paulo reúne organizações de esquerda latino americanas e caribenhas, em sua grande maioria partidos políticos. Cerca de 1,1 mil pessoas se inscreveram para participar da XIX reunião do Foro, que este ano ocorre em São Paulo.

Lula fez diversas críticas aos países ricos, muitos elogios ao ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez - morto neste ano -, afirmou que o Foro foi a melhor coisa criada na América Latina, e disse que sem ele os partidos de esquerda não teriam chegada ao poder no continente.

No alerta ao PT, o ex-presidente sustentou que "aqui no Brasil nós sabemos que um partido de esquerda que chegou ao poder precisa tomar cuidado para não cometer os mesmos erros que vimos em outros lugares". "Só tem uma coisa que garante um partido, chegando ao poder: não perder sua relação com o povo".

Articulador da eleição de Dilma Rousseff e do projeto de reeleição, Lula tem feito autocríticas a correligionários no momento em que o partido acumula desgastes e incertezas com a queda de popularidade da presidente. "Às vezes a gente encontra um companheiro xingando e gritando na rua, já acha que é inimigo e esquece que nas últimas eleições ele votou na gente. Em vez de achar ruim, seria melhor perguntar ‘por que agora você está bravo comigo?’".

A grande preocupação do petista é a necessidade de o PT e partidos de esquerda criarem novas formas de diálogo com a sociedade, em especial com os jovens. "Como estamos nos comunicando com eles? Qual a mensagem que estamos passando para eles? Qual a mensagem de esperança que passamos?", indagou.

Ele disse que manifestações como as ocorridas na Primavera Árabe e no Brasil devem servir de lição para os integrantes do Foro de São Paulo. "Pelo fato de a esquerda estar enfraquecida na maior parte do mundo, a esquerda latino-americana pode servir de farol", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário