quarta-feira, 24 de julho de 2013

Pão de Açúcar e o lucro enxuto

Abilio elogia o resultado

A chamada do jornal Valor diz: “Grupo Pão de Açúcar tem lucro 83% mais enxuto”, quando eu clico para abrir a materia aparece outro título: “Grupo Pão de Açucar tem lucro liquid de R$42 milhões no 2o. trimestre”. Há também outra material Abilio Diniz elogiando o resultado. Parece o Brasil, todo mundo fala uma coisa e na prática quer dizer outra.

Eu tenho sentido que, na loja onde fazemos nossas compras semanais, a qualidade caiu.
E olhem que é uma loja na Praça Panamericana, bairro nobre de São Paulo!

Mas, parece que o quê importa é o lucro…

Vejam a materia abaixo, com os dois títulos juntos.

Grupo Pão de Açúcar tem lucro líquido de R$ 42 milhões
no 2º trimestre – 83% mais enxuto


Por Valmir Zambrano e Daniela Meibak |
Valor - 24/07/2013 às 01h29

(Atualizada às 8h12) O Grupo Pão de Açúcar, maior rede de varejo do País, registrou lucro líquido de R$ 42,090 milhões no segundo trimestre, ante lucro líquido de R$ 254,649 milhões obtidos no mesmo período do ano passado, um recuo de 83,4%, conforme demonstração de resultados consolidada divulgada na noite desta terça-feira. O lucro líquido considerado é o atribuível aos sócios da empresa controladora, base para a distribuição de dividendos.

De acordo com demonstração de resultados consolidada disponível no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que inclui as operações de hipermercados e supermercados da rede Pão de Açúcar e a Via Varejo, a receita líquida foi de R$ 13,382 bilhões no segundo trimestre ante R$ 12,037 bilhões no mesmo período de 2012, em expansão de 11,1%.

O custo de vendas do grupo foi de R$ 9,832 bilhões no segundo trimestre, ante R$ 8,808 bilhões no mesmo período do ano passado, em alta de 11,6%.
O lucro bruto no segundo trimestre atingiu R$ 3,550 bilhões, comparado a R$ 3,229 bilhões no mesmo período do ano passado, um avanço de 9,9%.
As despesas da companhia cresceram 20,1% no segundo trimestre deste ano, para R$ 3,155 bilhões, ante R$ 2,626 bilhões no mesmo período de 2012.

O Ebit (resultado antes do resultado financeiro e de tributos) do segundo trimestre ficou em R$ 395,376 milhões, ante R$ 602,726 milhões no segundo trimestre de 2012, um recuo de 34,4%.

Considerando o segmento alimentar do grupo, a receita avançou 10,6% no segundo trimestre, perante um ano antes, para R$ 7,321 bilhões. Nos seis meses iniciais do ano, houve alta de 10,7%.
Na área de não alimentos, que inclui as lojas físicas da Viavarejo e a Nova Pontocom, a receita líquida ficou em R$ 6,062 bilhões no período, com evolução de 14%. No semestre, o aumentou foi de 11,6%.

De acordo com o relatório, o foco da companhia na expansão possibilitou a entrega de 33 novas lojas no trimestre, sendo 23 do Minimercado Extra, quatro da Casas Bahia, três do Assaí, duas do Pão de Açúcar e uma drogaria. O grupo reafirmou seu compromisso com a projeção de crescimento de área superior a 6% para o GPA Alimentar e entre 2% e 3% para Viavarejo neste ano.

Na segunda quinzena de junho, ocorreram manifestações populares no Brasil que levaram a empresa a fechar algumas lojas por algumas horas, em determinados períodos. A administração do grupo avalia que os impactos em vendas e em outros gastos não foram relevantes e não prejudicaram de maneira significativa o desempenho do trimestre. (Valmir Zambrano e Daniela Meibak | Valor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário