sábado, 6 de julho de 2013

Brasil e o Mundo - incertezas políticas

Todos gritam e ninguém escuta

Ainda sem ter acesso regular à internet, estou acompanhando o noticiário nacional e internacional nos momentos que consigo ligar o computador e conseguir acesso à rede. Mesmo com intervalos longos as notícias não melhoram.

O Egito continua num clima pré guerra civil; a Europa ficando refém dos Estados Unidos por causa de mais um americano que resolve contar para o mundo que Obama não pode fazer o quê prometeu e a América Latina patina na economia e na política. A África e a Ásia continuam como estavam. Um precisando de investimento, de paz e de educação e o outro trabalhando muito para abastecer o mundo com a mão de obra barata e assim recuperar o tempo perdido.

Aqui no Brasil, a Imprensa continua bombardeando o governo Dilma e o governo continua tateando tentando superar a crise econômica e política. O diálogo não é fácil. Todos acham que têm razão mas não conseguem formar uma maioria que estabilize nem a economia nem a política.

Nesta noite de sábado vi que a presidente Dilma emitiu uma nota dizendo que não pretende fazer mudanças no ministério. Pode significar que em pouco tempo teremos mudanças de ministros. Alguns já passaram da hora de sair.

Já os congressistas e políticos em geral continuam desacreditados, facilitando o trabalho da imprensa que quer desacreditar os políticos e a política.

O mais interessante das últimas notícias foi que o Corinthians ganhou do São Paulo e o técnico do São Paulo foi demitido. Há alguns anos era com o Corinthians que acontecia isto. Perdia para o São Paulo e demitiam o técnico. Culpa da diretoria do São Paulo, que tem um dos melhores times do Brasil mas o técnico era aprendiz. E quem contratou o aprendiz foi a diretoria do clube, o técnico não teve culpa.

Eu recebi também umas mensagens por e-mails que falam das manifestações do próximo dia 11, quinta-feira. Parece que a imprensa quer que seja uma Greve Geral contra Dilma. Há vários sindicalistas que estão topando e fazendo convocatória da Greve Geral, outros dizem que vai ser um Dia Nacional de Luta, com greves e manifestações, não se caracterizando como um dia de Greve Geral contra o governo e sim a favor da pauta dos trabalhadores.

Eu acho que o movimento poderia fazer um acordo e propor mais um dia de feriado nesta semana.
Já temos o dia 9 de julho em homenagem ao levante de São Paulo contra Getúlio Vargas, e podemos ter outro dia facultativo no dia 11, como dia de reivindicações como o fim do fator previdenciário, 40 horas semanais de trabalho,democratização dos meios de comunicação e os demais itens da pauta das centrais sindicais.

Se não vai haver metrô nem ônibus, o que os trabalhadores vão fazer?
Trabalhar todos de carro infernizando o trânsito?

Já que a imprensa quer a greve geral, que façamos uma dia de ponto facultativo!
Ninguém trabalha e pronto!
Todos absorvem a manifestação, a economia fica mais uma dia parada e talvez a inflação diminua...

E o tempo vai passando até chegar a reforma política ou as eleições do ano que vem.

O problema central do Brasil e do Mundo é a tal da hegemonia.

Ninguém tem maioria ou proposta clara que estabilize a sociedade e assim todos possam trabalhar, criar seus filhos e ter segurança com o futuro.

O Brasil e o Mundo estão precisando de uma nova forma de governo.
Uma democracia realmente participativa e sem privilégios,
em vez deste sistema representativo e desmoralizado.
Novas Constituintes virão...

A primavera pode virar verão,
mas o mundo não vai continuar neste marasmo econômico e político.

Quem viver verá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário