quinta-feira, 20 de junho de 2013

Primavera Brasileira: A Festa, o Caos e a Ordem

A Imprensa mostra mais a violência

E a passividade da Polícia Militar. Que está subordinada aos governadores, que estão passivos e acuados pelos jovens, pela imprensa e pela situação imprevista.

Hoje deveria ser um dia de Festa em comemoração à Grande Vitória do Movimento pela Redução da Tarifa de ônibus.
Todos os prefeitos e governadores tiveram que reconhecer a força do movimento e tomaram a decisão de recuar nos reajustes das tarifas do transporte.
Foi uma grande conquista! Todos reconhecemos.

Mas, por que em vez de ser uma grande festa, transformou-se em manifestações de agressões, vandalismo e descaso para com o patrimônio público.
Por que depredar o Palácio do Itamaraty? Oscar Niemeyer deve ter ficado triste em ver sua obra de arte, reconhecida internacionalmente, ser agredida por manifestantes.

Antes de jantar, fiquei assistindo ao noticiário na TV. Achei curioso como uma grande rede de televisão, que foi contra o movimento das Diretas Já e foi contra o movimento do Impeachment de Collor, de repente, suspende sua programação habitual para contar, lance por lance, a grande manifestação cívica e as depredações.

Se eu não entendi mal, o locutor até comemorou quando viu que os manifestantes em Brasília estavam usando os cones de plástico para fazer fogueiras e arremessá-los contra a PM. Ele não percebeu, mas o microfone estava aberto e deu para ouvi.

Neste conjunto de crise de autoridade e de cumplicidades explícitas e implícitas, nenhum partido deve tentar pegar carona. O movimento começou apenas com o PSTU e com PSOL, e mesmo estes dois pequenos partidos esquerdistas já começam a ser perseguidos e intimidados nas manifestações. Eu volto a lembrar a experiência da Espanha. Tanto na Guerra Civil como em período recente, quando os estudantes ocuparam as praças contra os socialistas, ajudaram a eleger a direita conservadora e agora está desempregada e passiva.

Há um cumplicidade no ar, há segundas intenções na licenciosidade e omissão das autoridades, há omissão por parte de quem esquece as demissões generalizadas de jornalistas, e agora sentem-se porta-voz de uma "Nova Revolução". Ou a Primavera Brasileira. É o velho lema conservador de "Tudo pela Pátria, por Deus e pela expulsão deste pessoal que só pensa nos pobres e esquece a classe média". E sempre teremos pessoas pobres que darão entrevistas e depoimentos sobre a importância de ser contra os políticos e contra o governo.

Como o Brasil não tem diversidade de comunicação nos canais de TVs, nos rádios e nos grandes jornais, A Associação Nacional de Empresas de Comunicação deve estar atuando articuladamente para "limpar o país destes que são contra esta hegemonia história brasileira". E acabar com este negócio de "peão" mandar no país!

Este é um momento oportuno para acabar com esta história de pobre encher os aeroportos e aviões, encher as ruas de carros novos e usados, dificultando a livre e rápida circulação dos ricos. Agora, até os Hospitais de Ricos estão cheios de pobres por que passaram a ter convênio médico. E ainda querem trazer médicos cubanos e portugueses!

Precisamos ser menos preconceituosos!
Precisamos pensar num Brasil para todos.
Temos riquezas naturais e humanas
para construir uma grande Nação.

O momento exige serenidade e muito cuidado.
Mas é preciso preservar o patrimônio público e privado.
É necessário garantir que as Rodovias fiquem livres,
sem bloqueios por parte dos manifestantes.
É preciso garantir a segurança das pessoas e das instituições.

É importante ouvir o clamor do povo por mudanças,
mas não devemos ficar reféns da violência e de oportunistas.

O sonho não acabou, mas, o sonho está ameaçado.
Os jovens representam os desejos e o futuro,
mas não podemos deixar a violência destruir o presente.
Hoje é o fruto do ontem e a semente de amanhã.

O Brasil sempre foi um país mais de paz do que de guerra.
Sempre foi o país do futuro.
E o futuro é agora.

E nossa alegria,neste momento de incerteza,
mais uma vez é a presença de Felipão
como técnico da seleção brasileira.
Ele bota ordem na casa, organiza o time
e dá alegria a todos os brasileiros.
E aí, Neymar volta a fazer gols e dar lindos dribles
e o jovem Jô entrar em campo para dar mais alegria.

Na Primavera Brasileira, nossa cidade de São Paulo,
está repleta de pés de Ipês floridos.
A rua da Consolação tem muitas passeatas,
mas hoje eu contei oito pés de Ipês cheios de flores.

Nossa Primavera pode ter muitas flores de verdade.
E uma grande mudança na vida brasileira
Modernizando nossas instituições
e acabando com esta leniência coletiva.

Cada um de nós pode também ser um Felipão,
ajudando a botar ordem na casa,
organizando nossa vida
e vendo o Brasil ser Campeão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário