quarta-feira, 24 de abril de 2013

Santander Brasil – Presidente RENUNCIA

As forças ocultas continuam presente

Depois de dois dias de derrotas históricas no futebol,
agora é a vez do Santander no Brasil passar por mais uma mudança.
Presidente renuncia e há expectativas sobre os resultados econômicos no Brasil.

Vejam a noticia do Estadão:

Santander Brasil anuncia renúncia do presidente Marcial Portela


Jesús Maria Zabalza Lotina assumirá o cargo;
Portela irá para a presidência do Conselho de Administração do banco

24 de abril de 2013 | 19h 44 - Leandro Modé, de O Estado de S. Paulo
Texto atualizado às 21h10

SÃO PAULO - Dois anos e meio depois de assumir a presidência do Santander no Brasil, Marcial Portela está deixando o cargo. Ele será substituído por outro espanhol: Jesús Zabalza, que comandava a divisão América, sob a qual estão filiais como a da Argentina, do México, do Chile e do Uruguai. Aos 68 anos, Portela não vai se desligar totalmente do Brasil. Assumirá a presidência do Conselho de Administração do banco.

"A saída estava planejada desde que assumi a presidência executiva. O momento chegou", disse Portela ao Estado. Ele argumentou que a família inteira vive na Espanha, inclusive a mulher, que passa apenas um terço do tempo no Brasil.
O comando do Conselho de Administração permitirá que o executivo volte a viver em seu país de origem. "Nessa posição, acredito que conseguirei passar dois terços do tempo na Espanha", afirmou.

Zabalza será o terceiro presidente executivo do Santander no Brasil desde que o banco espanhol comprou o ABN Amro Real, em outubro de 2007. Antes dele, a instituição era liderada por Fabio Barbosa, oriundo do banco Real. Hoje, Barbosa preside o Grupo Abril.

Os 30 meses em que Portela comandou o Santander foram marcados pelo aumento da participação da filial brasileira nos resultados mundiais (hoje na casa de 26%) e por rumores de que a unidade poderia ser vendida para ajudar o grupo a cobrir perdas na Espanha – que vive o rescaldo da explosão de uma bolha de crédito.
Portela sempre negou as especulações, argumentando que o Brasil é, hoje, a maior unidade em termos de geração de lucro, à frente da própria Espanha.

O executivo avalia seu principal legado é a "criação de uma equipe muito forte, com visão estratégica da missão que está definida para o grupo no mundo". "Construímos bases sólidas para o crescimento de um banco comercial", disse.
Para ele, o ciclo de Zabalza será marcado justamente pelo crescimento em ambiente desafiador. "A indústria financeira está em transformação no Brasil", afirmou, referindo-se à queda da taxa básica de juros (Selic) para os níveis mais baixos da história.

Mundo novo. A avaliação não só de Portela, mas de analistas e executivos do sistema financeiro, é de que as instituições terão de revolucionar suas estruturas (sobretudo de custos) para manter os níveis de rentabilidade das últimas décadas.

"O problema é que a queda do juro, dos spreads e das tarifas aconteceu em uma velocidade muito superior à capacidade de os bancos se adaptarem a esse novo ambiente", diz um banqueiro concorrente do Santander. "Inevitavelmente, a rentabilidade será menor nos próximos anos, como já aconteceu no ano passado."

Para assumir o comando da filial brasileira, Zabalza vai deixar a divisão América. O Santander divulga hoje o balanço (no Brasil e no mundo) relativo ao primeiro trimestre de 2013.


8 comentários:



  1. GILMAR

    sugiro colocar esse post em conjunto com o de fevereiro(Santander e as Forças Ocultas), ou seja unificando e trazendo os mais de 200 comentários

    para mostrar o que esse banco vive nas suas entranhas

    a queda do lucro inevitável pela péssima gestão desse comando e de seu VP atual de REDE de Varejo

    sera que o Jesus Salva esse banco !!!

    eu sou cético por ser mais um Espanhol incompetente e arrogante como são todos eles

    Uma correção: não foi a partir da administração do sr. Portela , que o Brasil passou a representar mais de 20% do lucro do banco no mundo, desde Fabio Barbosa no final de 2010 que já detinhamos essa maior participação n lucro.

    o Sr Portela não fez nada de novo e de bom pra esse banco, muito pelo contrario nunca vi um Presidente tao inexpressivo. nunca recebemos a sua visita em nossa região, ao contrario do Fabio que pelo ABN REAL, nos visitou pelo menos duas vezes

    um gesto simples mas que ele nunca fez ao rodar o Brasil, como pode comandar sem conhecer a realidade da ponta, não acredito em um novo espanhol no comando, pois já mostraram a sua incompetencia mesmo antes da compra do Banco REAL, quem não se lembra do Javier Raramilo, se não me engano o nome, um fracasso na gestão d compra do Banspa

    piada mais um espanhol

    se o Jesus quer salvar esse banco ouça a floresta, ele canta muita informação

    a melhor coisa poderia fazer:
    - primeiro- vender o banco

    - segundo- se não vender, mudar a sua politica e do seu comando atual de REDE de VAREJO( um tal de Pedro Coutinho), pois esse infeliz e prolixo esta afundando o banco. varejo não se faz como ele quer conduzir, sumam com ele daqui se quiserem evoluir em algo, com o absurdo de taxas e spreads na sua decisão(aumentando taxas para compensar a baixa evolução de ativos((sem futuro)), um banco de varejo funciona assim!!! olhem Bradesco e ITAU, decisões rápidas e sistemas robustos, nosso caótico. esse senhor penas tem teorias e teorias, mas na pratica não funciona pela alta rejeição a sua gestão, se for inteligente o sr Jesus muda esse rapaz urgente !!! coloca ele no Afeganistão para fazer pregações o que ele mais sabe fazer !!!

    -terceiro- acabem com os processos burrocraticos existentes, parecemos um empresa publica cheia de gente na central que não atende e pendenciam processos por nada, pois eliminando os processos e deixando nas agencias a sua gestão, acabaria com um monte de problema, ou seja agilidade na ponta já

    - celeridade no credito - as aprovações são uma eternidade, hoje pelo medo de emprestar e dar errado, o credito fica direcionado aos poucos tomadores e com pouca evolução, o ativo não cresce

    coloque um blog so e vamos sacudir a poeira

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com o colega esse Pedro Burrinho, e seus Discípulos Robson Rezende so sabem fazer ameaças, so teoria e burocracia aumentando, sera que ninguém vê isso, mais um espanhol aqui nao, ta difícil a vida, um monte de gente afastada por depressão, nunca vi isto em outras instituições que trabalhei, ridículo, bem mais todo espanhol e teimoso com Cezar o Sr Pedro Burrinho continuara, pois este banco gosta de ser enganado e isso ele sabe fazer bem, enquanto isso perde clientes e bons funcionários.

    ResponderExcluir
  3. Mais demissoes hoje no RJ!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No interior de SP tem todo dia, há cerca de 03 semanas.

      Excluir
  4. Em Ctba toda semana desde meados de março.... nosso sindicatozinho cade?

    ResponderExcluir
  5. Hoje o GG de minha agencia obrigou todo mundo a ficar depois das 18 hs para fazer, individualmente, a cobrança de seguro, e cp. Um absurdo ASSEDIO MORAL Nos trabalhamos com medo. Ele cobra dizendo que é inegociável e caso não cumpra será demitido.....Não vejo a hora dele ser demitido, pois a agencia não entrega nada. KKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo acima entendo vc mais a culpa nao e dele vem d cima, se ele sair poderá vir outro e ser bem pior, eu sou Gg e sai do banco a pouco tempo por minha conta pois nao agüentava isso, porem reflita se vc tem medo de ser demitido ele tambem tem e precisa do trabalho igual a vc pense nisso, uma coisa e nao concordar outra e deixar de lado seus compromissos e desejar o mau do outro, o problema sao os espanhóis e o Pedro Coutinho. Pense nisso.

      Excluir
  6. Se a sua agência não esta entregando a culpa não é do GG e sim de vocês que não produzem!!! Vai trabalhar e para de ficar achando muleta para se escorar!!!

    ResponderExcluir