segunda-feira, 4 de março de 2013

OSESP – Alegria e Tristeza

Espaço Público e Privado

Sexta-feira passada, dia 1º. De março, fomos assistir à reabertura da temporada anual da OSESP. Como assinante há vários anos, estávamos radiantes com a retomada mensal dos concertos.

Chegamos cedo, como sempre, jantamos no restaurante local e depois fomos à livraria e loja de discos. Para minha surpresa, encontrei um disco que há dois anos espero: Os seis concertos de Brandenburg de Bach. Regido por Claudio Abbado e Orchestra Mozart. Um cd duplo simplesmente divino! Achei também um cd com Concertos para Clarinete de Franz Krommer. Fiz duas boas compras e fomos à sala de concerto saborear a reabertura anual.

A programação do dia prometia: Richard Strauss, Maurice Ravel, Guillaume Connesson e novamente Richard Strauss com “Assim Falava Zaratustra, Op. 30. A regência de Marin Alsop e o piano com Jean-Yves Thibaudet.

A primeira parte foi muito bonita, mas, o marcante mesmo foi a segunda parte da noite, com a regência e a orquestra fazendo uma apresentação primorosa. Foi o dia que mais fiquei impressionado com a regente e com a orquestra. Só quem viu e ouviu pode ter ideia da dimensão do concerto.

Voltamos para casa sem ligar o rádio, apenas conversando laconicamente sobre a segunda parte da apresentação. Tudo muito bonito e impactante. Fiquei pensando em fazer um bom texto elogiando a orquestra e sua regente. Dormi tranquilo...

No sábado, da mesma forma que aconteceu no ano passado, mais uma vez o caderno Ilustrada da Folha, na página de Monica Bergamo, deu ampla cobertura à politicagem dos governantes que foram ao concerto no dia anterior. Fiquei chocado: Como pessoas tão letradas se comportam como crianças birretas num espaço tão sagrado? Porque a Folha repete esta pobreza de espírito? O trauma impediu-me de fazer o elogio a Marin Alsop e à orquestra!

Só hoje consegui escrever este texto, que não representa nem 10% do que eu gostaria de ter escrito. Mas, mesmo sofrendo, resolvi registrar os elogios aos músicos e deixar claro que esta confusão entre o Público e o Privado é uma demonstração de subdesenvolvimento, de mediocridade política de pessoas que fazem parte da nossa elite. Lamentável!

Procurei e achei no youtube uma gravação de Richard Strauss, confesso que achei a da OSESP mais bonita, mas, como muita gente não conhece a música, resolvi editá-la para quem quiser ouvi-la. Já a regente, acho que ela deveria fazer um apelo aos políticos brasileiros para que eles evitem dar declarações que comprometam o clima musical.

A Arte é divina!
Deve estar acima das disputas políticas, ainda mais quando a disputa se dá de forma tão medíocre.


Richard Strauss: Also sprach Zarathustra - Jansons/BRSO(2007Live)




Um comentário:

  1. Tem um DVD com esses seis concertos brandenburgueses regidos por Cláudio Abbado. A imagem muito bonita, e é muito agradável ver os músicos da pequena orquestra tocando cheios de alma.

    ResponderExcluir