sábado, 2 de março de 2013

Itália confunde a todos

É a crise econômica e política

O Tiririca italiano, também conhecido como o “Grillo falante”, está contribuindo para aumentar a crise italiana e também europeia.
Até a UOL, toda vez que eu clicava na chamada de capa para ler a matéria, sempre aparecia outra matéria onde contava que que alguém estava usando maconha...

Leiam a matéria sobre o Tiririca italiano e sobre a maconha e a escolha do novo papa.
É o samba do crioulo doido...

"Tiririca italiano" afirma que não apoiará posse de governo de outros partidos


02/03/201309h50 – UOL - Giorgio Perottino/Reuters

O líder do Movimento 5 Estrelas (M5S) italiano, o comediante Beppe Grillo, insistiu neste sábado (2) que não apoiará a posse de nenhum governo formado por outras coalizões e que só está disposto a prestar uma colaboração pontual ao próximo Executivo.

Grillo, que lidera o partido mais votado para a câmara baixa do parlamento italiano nas últimas eleições gerais e que é a terceira maior força parlamentar do país, explicou através de seu blog o conteúdo de sua entrevista publicada neste sábado pela revista alemã "Focus".

Na entrevista, feita na quarta-feira, Grillo se mostrava aberto à possibilidade de um governo do progressista Partido Democrata (PD) de Pier Luigi Bersani e do conservador Povo da Liberdade (PdL) de Silvio Berlusconi, se este tiver como prioridades reformar a lei eleitoral e reduzir os custos públicos da classe política.

"Repito pela última vez, o M5S não apoiará a posse de nenhum governo (muito menos um governo do PD e do PdL), mas votará lei a lei, de acordo com seu programa", afirma Grillo em um acréscimo, divulgado hoje, à última entrada de seu blog, datada de ontem.

As declarações do político e humorista, que costumam chegar através de entrevistas à imprensa estrangeira ou por meio de seu perfil no Twitter e em seu blog, continuam estampando capas de jornais na Itália desde o recente pleito, que transformou o M5S em elemento necessário para a posse no Senado de um governo de Bersani, pois este não quer pactuar com Berlusconi.

Nos últimos dias, o Movimento 5 Estrelas fechou qualquer porta a um pacto com a centro-esquerda que permita a governabilidade de Bersani e desafiou tanto o PD como o PdL a permitir a formação de um governo liderado pelo M5S se estiverem dispostos de verdade a se sacrificar pelo país.

Na entrevista publicada hoje pela "Focus", Grillo citava três pontos como os fundamentais que, segundo sua opinião, o próximo governo italiano tem que cumprir: a reforma da lei eleitoral, a abolição do reembolso com dinheiro público das despesas das campanhas dos partidos, e o limite dos parlamentares a dois mandatos.

"Se o PD de Bersani e o PdL de Berlusconi propusessem uma mudança imediata da lei eleitoral, a abolição dos reembolsos dos custos da campanha eleitoral e ao máximo dois mandatos para cada deputado, nós apoiaríamos naturalmente um governo deste tipo. Mas eles não farão isso nunca", afirmou o comediante na parte da entrevista à "Focus" justificada.

Nessa entrevista, Grillo afirma que se a situação continuar como está, a Itália não poderá pagar dentro de seis meses as aposentadorias ou os salários dos funcionários públicos e terá que deixar de adotar o euro como moeda, por isso propõe uma renegociação da dívida pública italiana, que ontem se soube que fechou 2012 em 127% do PIB.

Comparação com Tiririca

Grillo foi comparado pelo jornal "Financial Times" ao deputado federal Tiririca (PR-SP), o mais votado nas eleições de 2010. "Enquanto o Brasil dá a largada ao seu ciclo de eleições presidenciais de 2014, a breve carreira de um dos estranhos legisladores do Brasil diz muito sobre a disfuncionalidade da política do país", disse matéria do jornal publicada na terça-feira (26), comparando a eleição de Tiririca à de Beppe Grillo na Itália.

Cardeal americano diz que aqueles que o apontam como favorito no conclave estão "fumando maconha"

Do UOL, em São Paulo - 01/03/201317h43 - Seth Wenig/AP

O cardeal americano Timothy Dolan, um dos mais cotados para assumir o principal cargo da Igreja Católica, disse que as pessoas que acreditam em seu favoritismo "podem estar bebendo demais ou fumando maconha". A declaração foi feita à rede de televisão "CNN" na última quinta-feira (28), logo após o fim do pontificado de Bento 16.

Nota do Blog:

1 - A pressa em divulgar a noticia em primeiro lugar faz com que apareçam erros desnecessários.

2 - Quem primeiro comparou o Grillo italiano ao Tiririca brasileiro foi o modesto blogueiro que vos escreve. Mas não brigo por direitos autorais. Eu quero é que o mundo se modernize, que a democracia se espalhe por todos os continentes e que os países estejam estruturados de forma que dificulte o surgimento de corruptos, sejam eles, políticos, ministros, juizes, ou qualquer cidadão comum.


Nenhum comentário:

Postar um comentário