sábado, 30 de março de 2013

Eleições – Como o diabo gosta...

PSB e PDT se articulam com os tucanos

Como na política brasileira predomina o cinismo, todo mundo anda “fingindo de morto para comer o urubu”.
Esta matéria de Josias de Souza com certeza não foi inventada por ele. Alguém passou as informações e estas devem ser verdadeiras. Josias não é de mentir nem de inventar notícias...

Das duas uma:
Ou os partidos continuam à venda,
ou em 2014 teremos um divisor de águas entre os comprometidos com um “governo social” de Lula e Dilma de um lado,
e os comprometidos com o neoliberalismo e o ressentimento do outro.

Quem viver verá.
Vejam a matéria de Josias e reflitam sobre o assunto.

Eduardo Campos cogita acomodar PDT na vice


Josias de Souza – UOL - 30/03/2013 - 5:24

Os ajustes ministeriais de Dilma Rousseff não riscaram dos planos de Eduardo Campos as legendas com representantes na Esplanada. O presidenciável do PSB cogita entregar ao PDT a segunda posição da sua futura chapa.

Quem dialoga com Eduardo em nome do PDT é seu presidente, Carlos Lupi. O mesmo Lupi que acaba de obter de Dilma a troca do ministro do Trabalho – saiu o desafeto Brizola Neto e entrou o escudeiro Manoel Dias.

A preferência de Eduardo pelo PDT levou-o a refugar um aceno de Gilberto Kassab. Presidente do PSD, o ex-prefeito de São Paulo insinuou que, tendo a vice, sua legenda poderia fechar com o governador pernambucano.

Kassab fez isso longe dos refletores, há cerca de dois meses e meio, numa fase em que ainda discutia com Dilma a entrada do PSD no governo. Eduardo não topou. Parte de seus operadores achava que ele deveria ter dado asas à negociação.

Por quê? O PSD dispõe de um tempo de tevê equivalente ao do PSDB de Aécio Neves. Nas suas avaliações, Eduardo concluiu que o benefício da vitrine eletrônica não compensaria o custo político de ter como companheiro de chapa um vice “conservador”. O PDT seria, na opinião dele, uma logomarca mais apresentável.

A coligação idealizada por Eduardo é composta de cinco partidos:
além do seu PSB e do PDT, os oposicionistas PPS e DEM, e o governista (ma no troppo) PTB.

Nesta segunda-feira, a própósito, Dilma deve receber os líderes congressuais do PTB.
Enquanto a presidente tricota com a turma de Brasília,
Eduardo se entende com o ex-deputado Roberto Jefferson (RJ).

Delator do mensalão, condenado no julgamento do STF, Jefferson
encontra-se licenciado da presidência do PTB.
Mas diz-se que ainda controla a legenda.
Em 2010, entregou o tempo de tevê ao tucano José Serra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário