terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Vila Madalena pede ajuda

Combinando lazer com civilidade

Da mesma forma que na região central de São Paulo surgiram as Ações Locais, organizações por rua para ajudar os empresários, trabalhadores e instituições a manterem suas ruas limpas e protegidas, na Vila Madalena tem surgido várias associações de moradores.

As Ações Locais do Centro, são coordenadas pela Associação Viva o Centro, instituição criada por Henrique Meirelles, quando era presidente do Banco de Boston e que, mesmo não existindo mais o Banco, a associação continua existindo e contribuindo muito para a cidade. Seu gestor é Marco Antonio, oriundo também do Banco e já uma figura que faz parte da região.

Voltando à Vila Madalena, quero registrar alguns casos que mostram que, mesmo existindo as associações, os poderes públicos, seja a prefeitura, o governo estadual, a Eletropaulo ou a Sabesp, podem e devem ter um papel determinante e sem omissão.

Quem acompanha meu blog tem observado que eu destaco a presença de flores e de moradores antigos na Vila Madalena.

Mostro também o quanto à modernidade das construtoras está desfigurando nosso bairro e nossa cidade. Mas, com a estação das chuvas, as enchentes e as trovoadas estão deixando os moradores em pânico.

A prefeitura pode ser ágil, mesmo cortando 20% no orçamento?Pode.

1 - Podar as árvores que entopem as calhas das casas custa muito pouco e evita tragédias enormes! Nossa vizinha foi uma destas vítimas. Pediu que a prefeitura podasse a árvore, a prefeitura pediu 60 dias (!!!), a chuva veio, entupiu a calha e a água transbordou para a laje, desta para dentro de casa, para o guarda-roupa e a tragédia foi enorme...

No nosso caso, nós fazemos manutenção da nossa árvore. Temos um jardineiro periódico o que custa mais para a gente, mas evita entupimentos. Nossa vizinha argumentou que os moradores não podem podar suas árvores, somente a prefeitura. E quando a prefeitura não poda? Conheço dezenas de exemplos mostrando que a prefeitura é lerda...

2 - Com as chuvas também aumentam os buracos nas ruas e piora o trânsito, além do perigo. Na Rua Madalena, convivemos por vários dias com um buraco enorme, que prejudicou muito o trânsito. A Rua Madalena é muito bonita, com muitas árvores e flores. Mas, além de as pessoas estacionarem carros nos dois lados da rua, ali também passam muitos ônibus, aumentando o risco de batidas de carros e brigas. Onde está a CET que poderia regulamentar o trânsito nestas ruas com ônibus e muitos estacionamentos? Ontem a prefeitura tampou o buracão. Só falta a CET acertar o trânsito.

3 – Por falar em estacionamentos na Vila Madalena, na Rua Jericó, bem na esquina perto do Fórum, há um bar onde os clientes bebem na rua. Não é na calçada, é na rua mesmo. E como esta rua é mão dupla, o trânsito fica insuportável em função de ter que conviver com os bebuns jovens e simpáticos, por serem de classe média alta, e com carros passando apenas numa faixa, tanto para ir como para voltar.

4 – Não vou falar da parte baixa da Vila Madalena, esta é a mais perigosa quando chove. Os carros são levados pela correnteza... Mas, cada vez que chove, corremos o risco de ficar sem pão para o café da manhã, já que chegar na Rua Harmonia depois da tempestade fica mais difícil do que qualquer um possa imaginar.

5 – Isto por que eu não contei as histórias dos blocos de carnaval, Estas histórias eu já falei antes.

Creio que podemos usar a Vila Madalena como uma experiência positiva de interação entre os moradores, os usuários de fins de semana, os proprietários dos bares, os funcionários dos estabelecimentos e os poderes públicos.

Até conversei com o pessoal do Saj, tradicional restaurante libanês na Rua Girasssol, que um dia ainda levaremos Haddad para experimentar as deliciosas comidas e o bom atendimento. Mas, desde que ele tope dar uma pensada nesta campanha para transformar a Vila Madalena em um exemplo de civilidade interativa na nossa maltratada São Paulo.

Como eu não sei quem é o subprefeito responsável pela Vila Madalena, fica o convite para o prefeito e o secretário, nosso querido Chico Macenas.

5 comentários:

  1. Eu moro na Vila Madalena e hoje estou enfurecida com um barulho de samba , barulho alto, o dia inteiro ( odeio samba). Eu acho uma falta de respeito usar música alta, é uma coisa torturante, vc trabalha a semana inteira e chega o sábado , quando vc pensa q vai descansar, aparece este barulho de samba INSUPERTÁVEL, Eu tentei ver de onde vem pq, juro, eu estava com vontade de fazer um BO!!! falta de respeito!!! Também não estou gostando de alguns prédios com estrutura metálica q estao aparecendo na região. O que é esta coisa horrorosa? acho q os moradores tem que se unir pra impedir isto! grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O barulho vem de duas fontes. Uma é da Escola de samba da Vila Madalena, mas esta ensaia apenas a partir de agosto e os ensaios não incomodam tanto. A outra fonte do barulho é o bar Villa Seu Justino, que era na Vila Olimpia e se mudou pra Vila Madalena provavelmente porque teve problemas com os moradores de lá. O problema é que esse bar, NÃO RESPEITA NINGUÉM. Eles tocam samba a céu aberto, com banda ao vivo no volume que bem entendem e estão POUCO SE LIXANDO para os moradores da Vila Madalena. Já nos reunimos com os moradores do baixo da vila madalena, TODOS ESTÃO INDIGNADOS pois a prefeitura, apesar de inúmeras reclamações junto ao PSIU, NÃO TOMA NENHUMA PROVIDÊNCIA. A propósito, eu gostaria de saber que tipo de alvará de funcionamento esse bar tem, e quem foi o idiota da prefeitura que autorizou esse bar a funcionar nessas condições, com musica ao vivo com volume muito acima do permitido, incomodando os moradores, numa espécie de capitalismo selvagem onde eles estão POUCO SE LIXANDO para o incomodo que estão criando entre os moradores.

      Excluir
    2. Minha cara, não sei se você vai ver essa resposta, mas só pra deixar um manifesto aos próximos que passarem por aqui:
      Primeiramente, o fato de você odiar samba ou não não é argumento válido para encerrar qualquer atividade cultural, visto que sua opinião individual acerca da estética de qualquer manifestação cultural não lhe dá o direito de censurar nenhuma delas. O barulho acima de certos limites, assim como a insatisfação geral, sim, podem ser bons argumentos para que associações de moradores deliberem sobre o caso (ou trabalhem em parceria com) o poder publico para que a situação seja resolvida.
      Segundo, o fato, novamente, de sua opinião pessoal considerar feios os prédios de estrutura metálica não é argumento suficiente para que a comunidade se esforce para cessar a construção dos mesmos. Eu, por exemplo, acho bonitos esses prédios, enquanto acho feios os ditos "neoclássicos", sobre os quais eu tenho bastante a dizer, mas essa variedade de opiniões estéticas é natural e inevitável. Além disso, não há impedimentos legais para o estilo arquitetônico que as construtoras usarão em seus prédios, apesar de existirem impedimentos legais de outras naturezas sobre as construções. Enfim, para que a comunidade se mobilize, é necessário que a proposta leve em conta a vontade de toda a comunidade, não só um gosto pessoal.

      Excluir
    3. Ah, e pra deixar claro, também não gosto de como o bairro tem sido utilizado pela especulação imobiliária, já que, entre outros motivos, a infraestrutura parece não comportar essa quantidade de carros adicionais que vai surgir, além de, nesse processo, alguns antigos serviços de que o bairro dispunha, como a escola recreio, na rua mourato coelho, estão sendo expulsos, já que estavam de aluguel. Dessa forma, o bem-estar dos cidadãos está sendo ignorado, em prol do lucro de empresários e suas respectivas construtoras. No entanto, tal processo não se dá só aqui, sendo um problema de toda a cidade e de toda a ordem social brasileira e mundial, que tem colocado a vontade das empresas acima da vontade da maioria dos cidadãos (razão mesma, aliás, pela qual o tal bar pode fazer o barulho que quiser sem sofrer represálias).
      Dessa forma, é importante olhar para as ações regionais e se empenhar nelas, mas é importante também ter essa noção de que esses são só reflexos da realidade na qual estamos inseridos.

      Excluir
  2. Sou morador da Vila Madalena a quase 20 anos, e estou realmente indignado com o barulho provocado pelo bar Vila Seu Justino. Esse tempo todo que eu moro aqui na Vila Madalena, nunca tinha visto isso antes. Já tivemos problemas anteriores com outros bares que não respeitavam os moradores como unha de gato, brancaleone, batidão, black bom bom, grazie dio... e até com a escola de samba, mas confesso que nesse nível de desrespeito, eu ainda não tinha presenciado. Alguém da Vila Madalena ou algum representante desse bairro (se é que temos isso por aqui) precisa intervir em nome dos moradores urgentemente! Não aguentamos mais e estamos a ponto de entrar em pé de guerra com os funcionários desse bar, que alias são uns trogloditas que ficam na porta do bar para intimidar quem ousar ir lá reclamar. Já cansamos de chamar a polícia que nem nos atende mais. Já ligamos para o PSIU umas 300 vezes. Já fizemos contato com pessoas que trabalham dentro da prefeitura e não acontece absolutamente NADA! O que nos resta? ter que aturar esses parasitas da sociedade que chegam e se estabelecem numa região e sugam o potencial capitalista sem nenhum tipo de respeito? que país é esse? cadê os órgãos responsáveis? representantes de bairro? ninguém vai fazer nada? Quem duvida do que eu estou falando, basta passar aos sábados ou domingos lá pelas sete da noite no baixo vila madalena e saberá do que estou falando. O som é absurdamente alto e incomoda todo o quarteirão e ninguém faz nada.

    ResponderExcluir