segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Abilio recebe apoio do “Mercado”

O deus do dinheiro quer Abilio

A Folha de São Paulo, que sempre apoiou o Casino na disputa com Abilio em relação ao Pão de Açúcar, depois que Abilio teve sua indicação formalizada para o Conselho de Administração da BRF, passou a dar um cobertura mais amena.

A impressão que tenho é que o Grupo Casino/Pão de Açúcar, resolveu maneirar na crítica a Abílio, como tática para facilitar a saída de Abílio do Pão de Açúcar. A Folha sempre foi um bom porta-voz do Grupo Casino/Pão de Açúcar.

Pessoalmente eu acho que o Grupo Casino/Pão de Açúcar deveria fazer uma oferta financeira “indecente” de boa para Abilio. Uma soma financeira tão grande que Abílio pudesse desprender-se de seus laços afetivos com o Pão de Açúcar. Afinal, o Pão de Açúcar é passado para a Família Diniz. Lamentavelmente!

Mas, o mercado financeiro, os investidores, os que gostam de retorno rápido de investimento, este deus do dinheiro, está contente com a ida de Abílio para a BRF. Eu também gosto da ideia de Abilio ir para a BRF, o problema é como limitar a compulsão de Abilio. É preciso constituir mecanismos fortes de prevenção.

Vejam a matéria de hoje da Folha.
A de ontem, domingo, também estava muito “cordial”...

Indicação de Abilio para BRF é bem recebida pelo mercado


Bancos dizem que empresário vai contribuir para valorização da companhia
Ações subiram 5,1% na sexta-feira, dia seguinte à indicação do empresário para dirigir o conselho da empresa

Folha – 25/02/2013

A indicação de Abilio Diniz, presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar, para a presidência do conselho da BRF (Brasil Foods) foi bem recebida pelo mercado financeiro.

Em relatórios a investidores, Bradesco, BTG Pactual e Merrill Lynch consideraram que a decisão dos fundos Previ e Tarpon, acionistas da BRF, de indicar Abilio deve resultar na valorização da companhia, criada com a fusão de Sadia e Perdigão.

"Ter um dos mais experientes executivos do varejo de alimentos como membro do conselho vai contribuir para a valorização da empresa no longo prazo", diz o Bradesco.

Na sexta-feira, dia seguinte à indicação, as ações da BRF subiram 5,08%.

A indicação de Abilio, no entanto, foi vista com ressalvas pela diretoria-executiva da BRF, como revelou a Folha anteontem.

A confirmação de Abilio, juntamente com a dos demais membros do conselho, ainda precisa ser votada em assembleia-geral de acionistas da BRF, prevista para 9 de abril.

O conselho de administração não participa do dia a dia de uma empresa, mas define as estratégias dos acionistas.
O BTG considera que a chegada de Abilio tem "grande potencial de melhorar a cultura corporativa e as ambições de longo prazo".

"Abilio traz para a BRF seu profundo sobre varejo e sobre as preferências do consumidor brasileiro", diz o Bank of America Merrill Lynch. O banco também ressalta o fato de Abilio ter "bom relacionamento com o governo".

Para os analistas do banco, conflitos de interesse são evidentes, mas podem ser evitados. A BRF é a maior fornecedora do Pão de Açúcar (e o grupo, o principal cliente da BRF). As empresas também competem em algumas categorias de marcas próprias.

Para evitar conflitos, o banco sugere que Abilio se abstenha de votar em decisões envolvendo o Pão de Açúcar.
O Casino, controlador do Pão de Açúcar, pediu a renúncia de Abilio da presidência do conselho, justamente por ver conflito de interesse.



Nenhum comentário:

Postar um comentário