segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Santa Maria não foi fatalidade

Foi irresponsabilidade criminosa

Estou desde indignado com mais esta tragédia brasileira e sem condições emocionais de escrever alguma coisa. Tenho filha jovem, convivo com jovens no trabalho e sei o quanto eles são importantes para os pais. Ver estes jovens morrerem por negligência de empresários e irresponsabilidade de poucos é de cortar o coração.

Por isto, quando voltei hoje do almoço e vi a mensagem de nossa amiga Liliana Pinheiro, achei que ela espelha bem o sentimento do povo brasileiro. Para um país sem lei e sem justiça, nada melhor do que uma carta de repúdio aos canalhas profissionais.

Que estas tragédias não se repitam como “fatalidades”. Vejam a mensagem de Liliana Pinheiro:

QUERIDOS CANALHAS

Amanhã será outro dia. Mas desse bode o Brasil não se recupera tão já.

Santa Maria é o retrato acabado desse país sem juízo, sem cumprimento de regras, sem proteção ao cidadão.

O país em que políticos sacam com mochilas o dinheiro destinado a vítimas de enchentes.

Em que quase todos já apanhamos nas ruas para entregar bolsa e celular. Em que nos prendem dentro de portas giratórias de bancos.

Em que você liga para o serviço de saúde de madrugada pedindo socorro, e te avisam que o SAMU não tem ambulância, nunca tem.

Em que não há médicos nas madrugadas das UPAS.

Em que as contas chegam, mas não os serviços correspondentes a elas.

E em que boates para duas mil pessoas não têm saídas proporcionais ao público em caso de pânico e emergência nem sistema anti-incêndio.

Todo mundo morreu um pouco em Santa Maria, e o Brasil afundou mais um pouco em si mesmo.

Não tenho mais saco para político chorando, luto oficial, nota de pesar, bandeira meio-pau, helicóptero com autoridade baixando, político com ar grave diante das câmeras de TV.

Não acredito mais em vocês, queridos canalhas.

Do Blog:

É preciso construir um novo Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário