sábado, 1 de dezembro de 2012

Violência em São Paulo e na Palestina

O quê tem a ver com a gente?

As pessoas têm me perguntado por que eu gosto de abordar estes assuntos tão desagradáveis como a violência quotidiana em São Paulo e a guerra de Israel com os palestinos e eu sempre respondo:

“Tanto em São Paulo como na Palestina estão matando crianças e mulheres.”

E aqui em São Paulo, que não está em guerra declarada, morre mais gente do que na Palestina quando Israel liberou seus radicais contra a Faixa de Gaza. Como pode São Paulo ser pior do que a Palestina? Só muita incompetência...

Vejam o noticiário de hoje:

Na Palestina

1 – Manchete do Estadão: “Em reação a reconhecimento palestino pela ONU, Israel decide ampliar assentamentos na Cisjordânia”

O governo conservador de Israel autorizou a construção de mais 3.000 (três mil) casas em assentamentos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental (na parte dos palestinos). Não é provocação? Não respeitam nem a ONU!

Em São Paulo

2 – Nova manchete no Estadão: Bandidos matam casal na Avenida dos Bandeirantes

CRIME ACONTECEU NA FRENTE DAS FILHAS. Segundo a Folha de São Paulo, uma com 19 anos e outra com apenas 6 anos de idade. Para quem não sabe, a Avenida dos Bandeirantes fica bem perto do Aeroporto de Congonhas e é zona nobre da cidade, não é periferia.

O erro do casal foi “realizar um sonho de comprar um motocicleta Honda CBR 1000” e andar na avenida 21:00h. Isto é , nove horas da noite. As filhas estavam seguindo os pais logo atrás num carro.

3 – E a imprensa não responsabiliza ninguém, só prioriza notícias sobre “o caso Rosemary”, uma jovem que achou-se “Cinderela” e confundiu seu papel de secretária com o papel de “milagrosa”. E a imprensa ainda fica estimulando as pessoas a perguntarem se Rosemary tinha “caso” com Lula ou não.

Quando FHC teve caso e inclusive filho com jornalista, nossa imprensa calou-se. Um erro não justifica o outro, mas nossa imprensa poderia ser menos cínica e manipuladora.

Agora, digam a verdade, tanto as rosas para a Palestina,
como a menina comemorando a vitória na ONU, eram muito bonitas, não eram?

Hoje, enquanto eu andava de carro pela Vila Madalena, aqui em São Paulo, ouvia um velho disco de Elizeth Cardoso com a canção brasileira que dialoga com o mundo.

Deleitem-se:

Elizeth Cardoso cantando Manhã de Carnaval




E que o mundo tenha paz para as crianças,
para as mulheres e que os homens criem juízo.

E que tenhamos uma feliz “manhã de carnaval”!

Nenhum comentário:

Postar um comentário