sábado, 29 de dezembro de 2012

PT Paulistano - Provocações que pegam

E os Movimentos Sociais?

A maior crítica que se faz às Elites Brasileiras é que, para elas, somente os ricos e “doutores universitários”são capazes de governar.

Lula provou que era capaz de governar, mesmo não sendo rico de dinheiro e não tendo diploma de faculdade. Precisamos contribuir para que todos os brasileiros possam estudar e cursar faculdade, mas isto não pode ser pré-requisito exclusivo para cargo público.

Lula foi o melhor presidente da história do Brasil.

No entanto, tem muitos petistas que gostam de agradar às Elites e, na hora de se candidatar, procuram os movimentos sociais, mas, depois de eleitos, priorizam “ou doutores e os ricos”.

Haddad prometeu ser o NOVO.
Começou com o ibope bem baixinho, e ganhou as eleições com muitos méritos e muitos apoios, principalmente dos movimentos sociais e dos sindicalistas.

Da mesma forma que nossa imprensa gosta de tentar "enquadrar Dilma”, a imprensa está tentando fazer o mesmo com Haddad. Mas, por enquanto, a equipe de Haddad está dando razão à imprensa.

Mesmo o Centro de São Paulo de São Paulo sendo sede dos principais sindicatos dos trabalhadores de São Paulo, tendo também a Associação Viva o Centro, a Associação Comercial e dezenas de outras entidades empresariais, não sabemos se estas instituições foram ouvidas na indicação do pessoal que cuidará do Centro de São Paulo.

É preciso estar atento e forte.
Afinal, como dizem os funcionários públicos:
“A gente pode não eleger, mas ajudamos a DESELEGER muita gente”.

Vejam as matérias da Folha de hoje:

PAINEL – Folha de S.Paulo – 29/12/12

VERA MAGALHÃES - painel@uol.com.br

Sob nova direção

Fernando Haddad concluiu a montagem de seu time de 31 subprefeitos, colocando fim à era dos coronéis nas administrações regionais de São Paulo.

Além do ex-secretário Marcos Barreto, escalado para a Sé, os outros selecionados pelo petista são engenheiros e arquitetos de carreira. A triagem levou em conta as características e demandas dos bairros. O prefeito eleito reunirá hoje a equipe completa para as instruções iniciais, com foco nas providências para o período de chuvas.
-
Escanteio
A despeito da pressão de aliados, Haddad vetou também indicações de vereadores para funções consideradas técnicas nas subprefeituras, como supervisão de obras, finanças e setor jurídico. O prefeito eleito reservou cota de cargos para preenchimento político nas áreas de esporte, cultura e atendimento comunitário.

Santo de casa
A medida contrariou sobretudo o PT, que chegou a aprovar lista de candidatos a postos de direção em cada zonal da capital. Petistas percorriam as subprefeituras desde o final do segundo turno da eleição apresentando o que seriam os futuros supervisores e administradores no novo governo.


Mônica Bérgamo – Caderno Ilustrada da Folha – 29/12/12.

NO CENTRO


Marcos Barreto comandará a Subprefeitura da Sé,
a mais poderosa de todas.


Ex-secretário de Habitação na administração Marta Suplicy (PT-SP), ele é do grupo do deputado federal Paulo Teixeira, a quem sucedeu naquela época no comando da pasta.


4 comentários:

  1. Gilmar, acho que é uma tendência a tecnocracia...quem precisa dos movimentos sociais? Xi Jinping também é engenheiro, sucedeu a um outro engenheiro...na próxima vez vou votar em engenheiro ou arquiteto, mas que seja certificado pelo PMI...Pena que o Niemeyer está junto ao Arquiteto do Universo..

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá meu amigo Gilmar,

    Antes de mais nada, quero desejar a você e família uma boa passagem de ano e um 2013 de muita saúde e realizações.

    Gilmar, estou no movimento sindical há dez anos. Aprendi muito e mudei como ser humano. Sou uma pessoa melhor.

    Sou cria do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e do Coletivo de diretores do Banco do Brasil.

    Nesses dez anos aprendi o que é pertencer ao movimento sindical, o que é ser cutista, o que é ser da Articulação Sindical, e o que é ser filiado ao PT (como não atuo no partido, não fez muita diferença de ser eleitor do PT desde 1988).

    Como passei dez anos estudando o que somos, hoje tenho grande tristeza e frustração pelo que virou o PT. O partido não é mais de trabalhadores, é de parlamentares. Não tem mais vida social e projeto para o país. Seu projeto é obedecer a caciques (muitos deles pouco qualificados e sem princípios de esquerda).

    Sou secretário de formação no movimento sindical bancário e levo as bandeiras da CUT e da Articulação por onde ando. Mas tenho sofrido muitos ataques internos de quem não partilha dentro desses espaços a democracia, o respeito, a solidariedade e o consenso progressivo. Estou preocupado com isso (e cansado).

    Vamos para um 2013 onde seguirei defendendo os princípios que me norteiam como um sindicalista cutista.

    Abraços, William Mendes

    ResponderExcluir
  4. Prezado Amigo William Mendes,

    Muito bom seu comentário, relatando uma verdade cruel em que se transformou o Partido dos Trabalhadores, agora uma base de suporte político dos parlamentares que tomaram o partido da base militante.

    Espero que sua juventude lhe dê forças suficientes para resistir a essa tendência que transforma um partido popular num conglomerado de mandatos. Os militantes precisam de sua liderança para seguirem seus passos e se formarem politicamente, passo fundamental para a criação das novas e futuras gerações de lideranças no movimento social.
    Grande abraço do Sérgio Vianna.

    ResponderExcluir