sábado, 8 de dezembro de 2012

O Livro das Maravilhas

Desvendando uma Civilização

Hoje à tarde fomos à livraria comprar uns livros e, para minha surpresa, achei uma edição de bolso d’O Livro das Maravilhas de Marco Polo.

Numa época tão doida como a que estamos vivendo, onde a imprensa além de estar cínica e perdida, confunde as pessoas com suas manipulações, ler o livro de Marco Polo é um grande alento para manter a esperança.

Vejam o texto da contracapa, como é interessante e significativo:

“No fim do século XIII, a Europa cristã prepara-se para o grande mergulho que, da perda da Terra Santa à Peste Negra e da Peste Negra ao Grande Cisma, a conduzirá para a Renascença.

O mundo islâmico sofre o ataque mongol. O Califado, o Bizâncio e o Santo Império Germânico entram em declínio.

É nesta época transitória que três mercadores venezianos, Nicola, Mafeo e Marco Polo, vão deixar sua marca no mundo.

De 1250 a 1270, os dois mais velhos visitam Constantinopla, a Rússia e vão em direção à China. Em 1271, Marco Polo junta-se a eles. Atravessam os planaltos da Anatólia, do Irã, o Alto Afeganistão, o Pamir e o Turquistão chinês para chegar a Pequim.

Ficam 16 anos na China. A volta os conduzirá a outras regiões: a Indochina, a Indonésia, o Ceilão, as costas indianas. E mesmo regiões não visitadas, como as costas da Arábia, a Etiópia e o litoral africano até Zanzibar, serão fielmente descritas.”

Quer saber mais desta História?
Leiam o livro. É bom e barato!

Tão universal quanto à Bíblia e outros livros clássicos.

Se todos estes impérios passaram,
os poderosos de hoje também passarão.

E a humanidade continuará evoluindo para ter muitas pessoas
como Marco Polo e Oscar Niemeyer.

Um comentário:

  1. Fiquei boba! Achei especialmente impressionante a diferença de significado entre o popularização do budismo no Oriente e o do Cristianismo no Ocidente, mais ou menos na mesma época... muito pra pensar... Saudações!

    ResponderExcluir