domingo, 9 de dezembro de 2012

Macau, Brasil e China

A Terra ficou pequena

Nosso blog, com Macau, chega a 80ª comunidade internacional ou país e também chegamos a 153 mil acessos. Tudo isto em apenas 20 meses de existência.

Neste fim de semana, além de comprar o Livro das Maravilhas, contando as viagens de Marco Polo, por coincidência, recebemos a visita de alguém de MACAU.

Pouquíssimas pessoas no Brasil sabem algo sobre Macau, mas nossa história tem muita coisa em comum, a começar pelos Portugueses, depois por nossa relação com a China atual.

Como Macau é considerada “Região Administrativa Especial” da China, da mesma forma que Hong Kong, ambas têm provedor de internet próprio. Isto é, @xxx.macau, ou algo parecido, o provedor de Hong Kong é “hk”, da mesma forma que já recebi visita da Palestina.

Leiam mais sobre Macau e sua História. Aos poucos os brasileiros, como os Estados Unidos, vão ficando tão internacionais quanto suas antigas colonizadoras. Os Estados Unidos e a China já deram a volta por cima, só faltamos nós. Mas o século XXI já chegou e nós chegaremos lá. Divirtam-se...

Macau

Macau (em chinês: 澳門; pinyin: Àomén; em cantonês: Oumun) é uma das regiões administrativas especiais da República Popular da China desde 20 de dezembro de 1999, sendo a outra Honguecongue.

Antes desta data, Macau foi colonizada e administrada por Portugal durante mais de 400 anos e é considerada o primeiro entreposto, bem como a última colônia europeia na China.

A colonização de Macau teve início em meados do século XVI
,
com uma ocupação gradual de navegadores portugueses que rapidamente trouxeram prosperidade a este pequeno território, tornando-o numa grande cidade e importante entreposto comercial entre a China, a Europa e o Japão.

Macau atingiu o seu auge nos finais do século XVI e nos inícios do século XVII, mas só em 1887 a China reconheceu oficialmente a soberania e a ocupação perpétua portuguesa de Macau, através do "Tratado de Amizade e Comércio Sino-Português".

Em 1967, como consequência do Motim 1-2-3, que marcou a revolta dos residentes chineses pró-comunistas de Macau, em 3 de Dezembro de 1966, Portugal renunciou à sua ocupação perpétua de Macau.

Em 1987, após intensas negociações entre Portugal e a República Popular da China
, os dois países acordaram que Macau voltaria para a soberania chinesa no dia 20 de Dezembro de 1999. Actualmente, Macau está a experimentar um grande e acelerado crescimento económico, baseado no acentuado desenvolvimento do sector do jogo e do turismo, as duas actividades económicas vitais desta região administrativa especial chinesa.

Macau tem cerca de 538 mil habitantes, sendo a esmagadora maioria de etnia chinesa. Faz muitos aterros na foz do Rio das Pérolas para conseguir mais espaços de construção.

Desde 20 de Dezembro de 1999, o nome oficial de Macau é "Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China" (RAEM).

Após o estabelecimento da RAEM, Macau actua sob os princípios do Governo Popular Central da RPC de "um país, dois sistemas", da "Administração de Macau pela Gente de Macau" e de "Alto Grau de Autonomia", gozando por isso de um estatuto especial, semelhante ao de Hong-Kong, e possuindo consequentemente um elevado grau de autonomia, limitado apenas no que se refere às suas relações exteriores e à defesa.

Foi também garantido pela RPC a preservação do seu sistema econômico-financeiro e das suas especificidades durante pelo menos 50 anos, isto é, pelo menos até 2049.

(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário