domingo, 11 de novembro de 2012

Latinos votaram contra Romney

No Brasil votaram contra os tucanos.

Como não consigo achar na internet a matéria publicada no Estadão de hoje, com o título: “Mais do que apoiar Obama, latinos votam contra Romney”, de autoria de Andres Oppenheimer, articulista do The Miami Herald e ganhador do Prêmio Pluitzer, vou aproveitar e mostrar alguns pontos da matéria.

Uma lição para os americanos de lá e de cá.
Isto é, serve para os republicanos e também para os tucanos.
Ambos são neoliberais e conservadores.

Trechos destacados:

“O êxito de Obama entre os latinos na eleição de terça-feira (71% contra 27%), indica que, nos próximos anos, nenhum candidato a presidente dos Estados Unidos poderá dar as costas para os hispânicos ou propor medidas amplamente impopulares entre eles, como o republicano fez durante esta campanha.

Romney pensou, equivocadamente, que poderia ganhar a eleição sem o voto dos hispânicos.
Minha opinião: a grande vitória que Obama obteve entre os latinos deveu-se, em parte, ao fato de que o Partido Republicano deslocou-se tanto para a direita em relação à maioria dos temas abordados durante a campanha, que muitos hispânicos – mais do que votar em Obama – votaram contra Romney.

Assim, ou os republicanos aprendem alguma coisa com a derrota deste ano, e se movem para o centro, ou podem dizer “adios” à Casa Branca por um bom tempo.

A eleição de 2012 talvez tenha sido a última em que um dos partidos se deu o luxo de virar as costas para a maioria dos eleitores latinos.

O gigante latino provou que não está dormindo. Isso é bom para os latinos, é bom para a América Latina e é bom para os Estados Unidos.”
Tradução de Alexandre Hubner Ponho.

Nota do Blog:

Esta verdade para as eleições nos Estados Unidos, vale também para o Brasil.
Lá, a referência são os Latinos, aqui, a referência é “a Nova Classe Média”, isto é, os pobres, beneficiados por Lula e Dilma, que agora exigem respeito e direitos.

Aqui também, os pobres não estão mais dormindo em berço esplêndido...

O mundo clama por democracia participativa e Cidadania para todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário