segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Morte em Higienópolis

Eleições: Qual é a prioridade?

Este não será o primeiro, nem será o último texto onde afirmo neste blog que Segurança é o requisito mais importante para São Paulo e para qualquer comunidade. Se as pessoas não têm garantias de vida, direito de ir e vir para trabalhar, estudar ou passear, esta comunidade está condenada.

As demais prioridades também são importantes, mas sem a vida, a educação, a saúde, o transporte e o lazer, pouco vale.

Não adianta os “especialistas” dizerem que segurança é responsabilidade do governador. Quando este não funciona, quando o governo federal se omite, resta como alternativa à população organizar seu próprio esquema de segurança, de autodefesa.

Caroline, de apenas 15 anos, foi morta por ladrões durante assalto em Higienópolis.


Jovem voltava a pé de festa com namorado e foi baleada após entregar mochila com celular. Segundo a polícia, jovens confessaram crime em tom de deboche; eles dizem que a garota reagiu. Mas o namorado da garota nega reação.

O crime aconteceu ontem, na Rua Sabará, bem perto das Ruas Maranhão, Piauí e Av. Higienópolis. Portanto, perto da casa de pessoas como Fernando Henrique Cardoso e outras personalidades brasileiras.

Se nem em Higienópolis temos segurança, imaginem na periferia?


A reportagem da Folha diz que a mãe de Caroline beijou os pés dela e disse: “Filha, vai ter Justiça.”
Vai ter Justiça? Não, não vai. Por mais que a polícia tenha prendido os três adolescentes infratores, que confessaram o crime, Esta nossa Justiça não funciona. E, quando funciona, é parcialmente e conforme a conveniência.

Podem registrar este caso e daqui a alguns anos verificar onde andam os assassinos. Deverão estar soltos, cometendo novos crimes...

Mas a filha, esta jamais retornará à casa materna.

Quando afirmamos que é preciso fazer uma Nova Constituição, uma Nova Regulamentação do Judiciário, um Novo Código Civil, uma regulamentação mais adequada dos meios de comunicação, da estrutura sindical e dos partidos políticos, tudo isto deve ser feito para adequar o Brasil ao período atual. Esta Constituição vigente é a Constituição logo após a saída da ditadura, refletindo mais aquele clima do que o Brasil de hoje.

Temos que fazer a campanha para que em 2013 o Brasil se prepare para ter uma Comissão Constitucional e, em 2014 possamos eleger um Novo Congresso Nacional, incluindo como principal tarefa a aprovação de uma Nova Constituição. Moderna, dinâmica, enxuta e objetiva.

O futuro é agora.
Nossos jovens não podem ficar reféns
de velhos conceitos obsoletos e inexequíveis.
Carolines, Clarices, Marias, Pedros, Josés,
todos merecem ter direito à vida.

Um comentário:

  1. Eles matam e debocham... Sempre fui contra a pena de morte. Porém às vezes fico pensando como seria se houvesse a pena capital em alguns casos. Pode náo resolver os problemas, mas acho que diminuiria esses deboches e a sensação de impunidade... abs fraterno.

    ResponderExcluir