segunda-feira, 22 de outubro de 2012

BVA é Caso de Polícia!

É preciso acabar com a bandalheira!

Em dois anos foram sete bancos brasileiros sobre intervenção do Banco Central. Nos casos anteriores foram quase 9 bilhões de rombo nas contas.

Neste caso do BVA, o rombo é de 550 milhões!
Os 50 mil reais fazem os parlamentares ficarem parecendo
“ladrões de galinha”!

Pedem cadeia para políticos e não pedem para banqueiros e empresários?
É preciso acabar com a bandalheira!

Leiam com atenção esta matéria do jornal Valor de hoje:

BVA usava própria gestora para captar recursos

Valor – 22/10/2012

Dono de uma gestora de recursos, o banco BVA usava a Vitória Asset Management como um braço para obter liquidez e até mesmo capital para a instituição financeira. Desde sexta-feira, o banco está sob intervenção do Banco Central (BC), com um passivo a descoberto de R$ 550 milhões.

Levantamento feito pelo Valor mostrou que por meio dos fundos da Vitória o BVA conseguiu levantar pelo menos R$ 383,4 milhões para se capitalizar. A maior fatia disso veio do Patriarca, um fundo de "private equity" que captou R$ 331,1 milhões com investidores para compra de uma fatia do banco. Entre seus cotistas está Carlos Alberto de Oliveira Andrade, dono do grupo Caoa, de revendas de carros.

Outros dois fundos multimercados de crédito privado da gestora, o Ibiza e o Vitória Fidelis, emprestaram R$ 52,3 milhões a uma empresa, a Cartagena Participações, dos dois principais acionistas do BVA - José Augusto Ferreira dos Santos e Benedito Ivo Lodo - por meio da compra de Cédulas de Crédito Bancário (CCBs).

A Cartagena foi criada com o objetivo de capitalizar o banco e tinha como sócios a BVA Empreendimentos e Ivo Lodo. Cartagena é também o nome de um haras que Lodo possui em São Roque (SP). O banco nega, porém, qualquer ligação entre o haras e a empresa que vendeu CCBs para os fundos da Vitória.

A alocação em papéis da Cartagena representava, em setembro, 30% do fundo Vitória Fidelis e 71,79% do Ibiza, que recebia a alocação de outros fundos, de acordo com a Comissão de valores Mobiliários (CVM). Os títulos prometem pagar aos investidores uma rentabilidade equivalente a 107% do Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI) ao ano até o vencimento, que se dará em agosto de 2014. Juntos, os fundos somam um patrimônio de R$ 89,4 milhões, com nove cotistas.

Outros dois fundos, o renda fixa Elos e o multimercado Salus, também tinham R$ 9,201 milhões em debêntures da Multiner, empresa de energia que tinha como sócio José Augusto Ferreira dos Santos, um dos controladores do BVA e que vendeu a participação na companhia em março deste ano. Santos investia na Multiner por meio da Cia 44, que estava em fundo exclusivo detido por ele e gerido pela Vitória.

Os fundos da Vitória também davam liquidez ao BVA por meio da compra de depósitos a prazo e de carteiras de crédito do banco.

O BVA tinha quatro fundos de investimento em direitos creditórios (FIDCs), que somavam patrimônio líquido de R$ 862 milhões e contavam com 134 cotistas. Os empréstimos foram originados pelo BVA e, posteriormente, vendidos aos fundos de recebíveis, em uma prática bastante comum entre os bancos médios para captar recursos.

Na semana passada, a agência de classificação de risco Austin Rating rebaixou a nota de três fundos de recebíveis do BVA.
Os fundos BVA Master II e III e o Multisetorial Itália tiveram a nota rebaixada pela Austin em função do aumento da inadimplência nas carteiras, que saltou para até 7%, ante um patamar que variava entre 0,1% e 1,8% no fim de 2011 e continuam em observação negativa.

Os administradores das carteiras, Citibank e BRL, marcaram assembleias para esta semana para votar a substituição do agente de cobrança, que é o próprio BVA.
O banco ainda repassava para os fundos de crédito privado títulos de depósito a prazo emitidos pela instituição. Somando os papéis em carteira, que incluem CDBs, depósitos a prazo com garantia especial (DPGE) e letras financeiras, os fundos da Vitória Asset e da BRL Trust Investimentos, que era sócia do BVA até 1º de outubro, tinham exposição de R$ 127,155 milhões em títulos do banco.

A fatia é pequena dentro de um total de R$ 3,87 bilhões de depósitos a prazo que o BVA tinha em junho, data do último balancete entregue ao BC. Chama a atenção, porém, o fato de os fundos da Vitória não trabalharem com títulos bancários de outras instituições financeiras.

Na semana passada, duas carteiras administradas pela BRL, os fundos multimercado de crédito privado Salus e Providentia foram fechados para resgate. No final de 2011, algumas carteiras que eram geridas pela Vitória Asset, que somavam R$ 400 milhões de patrimônio, foram repassadas para a BRL após a entrada do BVA como sócio da gestora. Em 1º de outubro deste ano a sociedade com o banco foi desfeita.

Segundo fato relevante enviado à CVM, foram identificadas pendências e inconsistências documentais, cadastrais e de registro em algumas CCBs em carteira do Salus e do Providentia, relacionadas tanto à estruturação dos ativos, que estavam com valores divergentes dos registrados na Cetip, quanto ao valor das garantias. Esses papéis, segundo a BRL, tinham sido estruturados pelo antigo Lemon Bank.

A Vitória Asset também fechou para resgate o multimercado Fidelis, depois de registrar pedido de saque não compatível com a liquidez dos ativos em carteira, representando 28% do patrimônio do fundo de R$ 28,543 milhões. (Colaborou Carolina Mandl)




41 comentários:

  1. As pessoas adoram atirar merda no ventilador.
    Coisa de brasileiro, o povinho encardido.
    So pode ser do PT, gente morta de fome, que usou o poder para enriquecer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma regra vale para este pessoalzinho do BVA !

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Até o momento não tem ninguém culpado,todos tem que esperar o final da auditoria .

    O dono deste Blog,Gilmar Carneiro tomará que tenha bastante provas de que é caso de Policia,pois caso contrario ele estará com um Belo processo no Lombo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é amante ou travesti de aluguel desta cambada?

      Excluir
    2. Cala sua Boca seu pobre infeliz...Travesti é o seu PAI.

      Excluir
    3. Tá comendo no mesmo prato desta corja, infeliz?

      Excluir
    4. Também,estou comendo sua Mulher.

      Excluir
  4. SERÁ QUE O CARLOS DA CAOA ESTÁ MESMO COMPRANDO O BANCO BVA ? QUEM SABE RESPONDER ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele até tentou, mas precisaria de mais de um bilhão e meio para cobrir as cagadas do seu Ivo e o banco não vale nem um terço disso.

      Excluir
    2. Porque cagada???quando não sabe ou não intende de um assunto,não de palpite.

      obs.Foi uma crise de liquidez vai ver o que significa esta palavra no Dicionário.

      Excluir
    3. Procure um dicionário de português e tente escrever de acordo com a gramática seu analfabeto...(Intende)...

      Excluir
    4. SÃO PAULO - O proprietário do Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, voltou à carga para tentar comprar o banco BVA, sob intervenção do Banco Central (BC) desde 19 de outubro. O empresário fez na quinta-feira uma proposta ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para adquirir com um desconto de 65% o R$ 1,3 bilhão que o Fundo aportou na instituição financeira. Ainda não é possível afirmar que o banco se livrou da liquidação pelo BC, mas a probabilidade de salvamento aumentou.


      Andrade negociou por alguns meses com o FGC, mas as partes não chegaram a um acordo. No dia 7 de fevereiro, as conversas foram encerradas. De lá para cá, o empresário procurou cerca de uma centena dos maiores credores do BVA com uma proposta de desconto de 65% dos valores que cada um detinha no banco antes da intervenção. Há também a opção de ele pagar 50% do crédito, mas em um prazo mais longo, de até cinco anos.

      Nem todos aceitaram a proposta até o momento, e essa é uma das condições que precisam ser cumpridas para evitar a liquidação. A outra é a aprovação pelo BC. O famoso empresário do ramo automotivo era um dos maiores credores individuais do BVA, com R$ 500 milhões depositados em dinheiro e R$ 100 milhões em participação acionária. O maior credor é o próprio FGC.

      No dia 18 de fevereiro, o interventor do BC, Eduardo Bianchini, encaminhou para Brasília um relatório em que descreveu as condições do BVA. Junto com esse trabalho, foi enviado também um levantamento elaborado pela empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers, que apontou um passivo a descoberto de pouco mais de R$ 1,5 bilhão na instituição. Essa auditoria foi contratada pelo FGC para que os números do BVA pudessem ser apresentados a eventuais interessados em comprar o banco.

      Algumas instituições pediram para ver os números, mas, desde o início, pessoas que acompanham de perto o processo acreditavam que apenas Andrade teria real interesse. Por duas razões: evitaria a perda dos R$ 600 milhões e compraria um banco para poder financiar diretamente as vendas de suas empresas na área automotiva. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

      Excluir

  5. Jose Genoino que deveria estar preso.Ladrão do inferno.

    Acabou a auditoria do BVA Ate o presente momento não foi encontrado nenhuma fraude. Portando seu mané, tomara que metam um processo no seu lombo.

    ResponderExcluir
  6. O que está para acabar é este BANCO que será liquidado...em nenhuma instituição séria aparece um rombo deste tamanho do nada....lógico que por traz de tudo isto existe fraude e corrupção ou vc acredita no Papai Noel...trouxa !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cadê as provas??? você tem??? pois o BC não achou???

      Excluir
    2. Um bilhão e meio de rombo e no teu ponto de vista está correto? É só uma questão de tempo para encontrarem.

      Excluir
    3. Então o que vc,acha de esperar quieto e sem CRITICAR???

      Excluir
    4. Liberdade de opnião e de expressão são direitos constitucionais, "intende"...

      Excluir
    5. Concordo...,mas lembre-se que falar falar mal das pessoas sem provas é Processo.

      Excluir
    6. Processe meu cacete bicha escrota, pq disto sei que vc gosta!

      Excluir
  7. Acho extremamente curioso que um bando de babacas fique fazendo charme e querendo inocentar bandidos deste tipo...vcs são amantes ou travestis de aluguel desta cambada ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1.Primeiro,vc acha curioso porque eis um BURRO e não sabe que foi uma crise de liquidez e não FRAUDE.

      2.Sendo assim,não existe bandido.

      3.Amante é a vaca de sua mulher que tem.

      4.Travesti é o seu PAI.

      Obrigado

      Excluir
    2. Tá defendendo vagabundo porque come no mesmo prato !

      Excluir
    3. Estou também comendo sua mulher,que por sinal esta bem Acabadinha.

      Excluir
    4. Pelo menos tenho mulher e não ando dando o cú pra vagabundo, como vc !

      Excluir
    5. Sai para lá seu pobre Mendigo,sem perspectiva de vida.

      Excluir
    6. Perspectiva de vida boa com dinheiro digno e suado possuo sim, ao contrário de semi-analfabetos que se pinduram no saco de bandidos para viver !

      Excluir
  8. Que fiasco o ameaço de Benção matrimonial do sábado...tua mulher não permitiu BILF ou ficou com medo que os credores do BVA chegassem lá para cobrar e acabar com teu teatrinho ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido(a) anônimo, que não tem coragem de colocar seu nome, vc deve ser muito INFELIZ mesmo Né...fique "Fria" pois o Matrimonio ira acontecer e ele será MUUUITO FELIZ... E não Existira Mulher alguma,(se é que dava para chama-lá assim) para atrapalhar,nunca existiu TEATRO.

      Obrigado.

      Excluir
  9. Como pode tanta banalidade junta?????
    Vocês não estão vendo que os maiores prejudicados nesta situação dramática são os correntistas e funcionários deste banco maldito que não ata nem desata, trazendo inúmeros prejuizos financeiros e emocionais para todos.
    Esses banqueiros deveriam realmente mofar na cadeia, mas como infelizmente no nosso pais tudo acaba em pizza...
    Só espero que isso seja resolvido logo!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomára que a justiça impere e que estes canalhas apodreçam na cadeia, já fui vítima de banco dirigido por ladrões e fiquei com o amargo prejuizo, na época não havia facilidade em obter informações (Internet), o que apreendi com a lição foi nunca mais colocar dinheiro suado em instituições montadas para dar golpe, quer aplicar em instituições sérias...procure Bradesco e Itaú.Tenho pena dos correntistas desta instituição.

      Excluir
    2. Amigo,o que aconteceu foi uma serie de fatores negativos...eu também perdi dinheiro,mas pelo menos não teve Fraude.

      Excluir
    3. Seu conceito de fraude é bem esquisito. Só tem fraude. Vergonha nacional. Cadê a prisão deste lodo ??

      Excluir
  10. Procure um dicionário de português e tente escrever de acordo com a gramática seu analfabeto...(Intende)...

    ResponderExcluir
  11. Um bilhão e meio de rombo e no teu ponto de vista está correto? É só uma questão de tempo para encontrarem.

    ResponderExcluir
  12. Gilmar, limpa este Blog por favor. Esta cheio de ofensas e pouca informacao. Os animos estao exaltados pela perspectiva de perda financeira mas nao justifica baixaria.

    ResponderExcluir
  13. ATENÇÃO:

    Por diversas vezes fui alertado de que pessoas "anônimas" ou "grosseiras" estavam escrevedo termos chulos nos comentários sobre o BVA. Fiquei de olhar, mas não imaginei que tivesse chegado a tanto.
    Minha ideia, desde o início do blog, sempre foi garantir o "direito" de comentários. Mas fico transtornado quando vejo grosserias chulas.
    Peço desculpas aos leitores e vou ver como faço para limpar as baixarias.
    Vou também atualizar sobre a quantas anda o BVA.
    Em relação à justiça brasileira, continuo achando que precisamos de uma nova constituição e um novo código civil que sejam democráticos e reflitam a atualidade do Brasil e do mundo.

    Abraços,

    Gilmar Carneiro.

    ResponderExcluir
  14. A justiça tarda e só às vezes falha. Finalmente acharam as falcatruas do BVA e descobrindo seus financiadores. A Petros já está comprometida... existirão outros fundos ?

    ResponderExcluir
  15. Bom dia, meu nome é Márcio Alexandre Alves Ferraz, gostaria de saber como ficou a real situação dos pequenos investidores junto ao BVA?

    ResponderExcluir