quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Espanha - Crise Econômica e Implosão Social

Barcelona é sempre uma pedra no sapato

País em crise econômica é como marido desempregado, o amor acaba logo.

Como os políticos de direita e de esquerda não estão conseguindo acabar com a crise econômica, as regiões mais autonomistas da Espanha, como a Catalunha e os Países Bascos, começam a fazer manifestações pela independência.

Se os Estados Unidos ajudaram a implodir a União Soviética, a Rússia, a Tcheskolovakia e outros países, precisa tomar cuidado com a Espanha. A briga histórica destas regiões por autonomia já levou a várias guerras.

Com o mundo em crise, as guerras, a gente sempre sabe como começam, mas nunca sabe como acabam. Ainda mais com os Estados Unidos também em crise. Os autonomistas de Quebec acabaram de ganhar as eleições locais. O mundo está em transição.

Vejam esta matéria do Estadão de hoje e sintam o risco da história...

Na Espanha, milhares marcham pela independência da Catalunha

Manifestantes pedem que Catalunha se separe do País para ter controle sobre sua própria economia; região corresponde a um quinto da economia espanhola e tem língua própria

11 de setembro de 2012 - Danielle Chaves, da Agência Estado

BARCELONA - Milhares de pessoas se reuniram nas ruas de Barcelona, na Catalunha, nesta terça-feira pedindo que a região autônoma se separe da Espanha e controle sua própria economia. Segundo os organizadores da manifestação, milhares de ônibus levaram à cidade catalães que defendem a independência para participarem de uma marcha no dia nacional da região, chamado de Diada.

Ardentemente orgulhosos de sua língua distinta do espanhol e de sua cultura, os catalães sentem cada vez mais que estão recebendo um tratamento injusto do governo central de Madri.

A marcha ocorreu sob o slogan "Catalunha, um novo Estado europeu".


Mais de um milhão de pessoas nas ruas de Barcelona

No mês passado, a Catalunha pediu 5,0 bilhões de euros (US$ 6,3 bilhões) do fundo de resgate do governo central para poder reembolsar uma dívida de 40 bilhões de euros, equivalente a um quinto da produção econômica total da região. Mas o governo catalão, liderado pelo presidente Artur Mas, e a aliança política pró-autonomia Convergência e União, afirmam que a região está apenas pedindo seu dinheiro de volta.

A Catalunha, que corresponde a um quinto da economia da Espanha, diz que paga ao governo central mais em impostos do que recebe em troca: um déficit de 7 bilhões de euros a 8 bilhões de euros por ano.

Os manifestantes se reuniram na Praça de Catalunha, que estava coberta por bandeiras catalãs vermelhas e amarelas. "A crise nos dá mais razões para a independência", afirmou a advogada de 24 anos Mar Tarres, que participou da manifestação. Euralia Gili, uma pensionista de 68 anos, declarou que os catalães sentem que estão vivendo em uma colônia.

Artur Mas quer um novo "pacto fiscal" para permitir que a região arrecade e gaste seus impostos, em vez de depender do governo central para isso. No norte da Espanha, o País Basco já tem esse direito e sua dívida tem um rating de crédito maior do que o restante do país.

Uma pesquisa realizada em julho e publicada no jornal La Vanguardia no último domingo mostrou que 51,1% dos habitantes da Catalunha favorecem a independência da região, em comparação com 36% em 2001. Mas nacionalmente, 77% dos espanhóis são contra a independência da Catalunha e 86% acreditam que Madri deveria controlar as contas da região autônoma se fornecer um resgate para o governo local, segundo uma pesquisa publicada ontem pelo jornal La Razón. As informações são da Dow Jones.

Nenhum comentário:

Postar um comentário