quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Dilma e Dom Paulo por um Brasil sem miséria

Dom Paulo faz aniversário

Neste dia 14 de Setembro de 2012,
Dom Paulo Evaristo Arns completa 91 anos de vida.


Para os jovens, pode ser um dia como outro qualquer, para nós mais velhos, é um dia e um aniversário que sempre deve ser lembrado e comemorado.

Dom Paulo Evaristo Arns é um símbolo da nossa história.
Uma pessoa que soube usar seu cargo de Arcebispo de São Paulo, no auge da Ditadura Militar brasileira, para defender os direitos das pessoas, defender a liberdade de expressão e locomoção, enfim, defender à Democracia.

Dom Paulo atualmente vive recluso num Convento Franciscano em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, mas nós que convivemos com ele, não podemos esquecer jamais deste líder religioso e grande cidadão brasileiro.

Para homenageá-lo, reproduzo a reportagem que saiu no dia 18 de maio deste ano, quando nossa presidenta da república, Dilma Roussef, foi pessoalmente dar uma abraço de gratidão a Dom Paulo Evaristo Arns.

A esperança renasce neste 14 de Setembro e que Deus continue iluminando Dom Paulo Evaristo Arns para que ele tenha uma vida de luz e de alegria.

O Brasil e todos que conviveram com a Teologia da Libertação
deseja-lhe um Feliz Aniversário!

A Esperança também renasce em São Paulo.
O novo está chegando e iremos comemorar com Dom Paulo
e muitas pessoas que ajudaram nossa cidade a recuperar a dignidade.

Presidenta Dilma se encontra com Dom Paulo Evaristo Arns
Sexta-feira, 18 de maio de 2012 às 19:47


Presidenta Dilma Rousseff durante visita ao Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff visitou hoje (18), em Taboão da Serra (SP), o Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns. A visita ocorre na mesma semana em que a presidenta instalou a Comissão da Verdade, que terá prazo de dois anos para apurar violações aos direitos humanos ocorridas no período entre 1946 e 1988, que inclui a ditadura militar (1964-1985).

Dom Paulo foi o criador da Comissão Justiça e Paz para defender presos políticos e foi um dos coordenadores, na década de 1980, do projeto Brasil Nunca Mais, que coletou documentos sobre a repressão durante a ditadura militar. Devido ao temor de apreensão do material durante a ditadura, os documentos foram microfilmados e remetidos ao exterior. Em 2011, os documentos foram repatriados.

Um comentário:

  1. Uma homenagem mais do que justa!!!! dom Paulo é uma daquelas pessoas que jamais serão esquecidas.

    ResponderExcluir