sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Cruzeiro do Sul - Rombo pode chegar a 4,5 bilhões

Santander e Cruzeiro do Sul fracassam nas negociações

No jogo de perde-perde, o Banco Central decretou a liquidação do Banco Cruzeiro do Sul e suas associadas financeiras. O Banco Santander, que apareceu no final do processo como interessado, não aceitou as condições apresentadas pelo Fundo Garantidor de Crédito e o Banco Central.

É bom lembrar que a família dona do Banco Cruzeiro do Sul é "Índio da Costa", do mesmo vice na chapa de José Serra para presidente em 2010.

Quem vai pagar a conta?

Vamos acompanhar os acontecimentos. Muitas coisas ainda vão acontecer, principalmente para os funcionários e credores.Leiam o texto da Agência Estado.

Negociações fracassaram e banco Cruzeiro do Sul é liquidado

Sem acordo sobre venda, Fundo Garantidor de Créditos recomendou ao Banco Central a liquidação do Cruzeiro do Sul, confirmada nesta manhã; Banco Prosper também foi liquidado

14/09/2012 | 7h 43 - David Friedlander e Leandro Modé, de O Estado de S. Paulo
(Texto atualizado às 10h38)

SÃO PAULO - As negociações com o Santander fracassaram e o Banco Cruzeiro do Sul foi liquidado pelo Banco Central. As conversas do banco espanhol com o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) se arrastaram até a madrugada de hoje, mas, sem acordo, e como não houve outras propostas, o FGC recomendou ao BC a liquidação do Cruzeiro do Sul.

Em nota divulgada nesta manhã, o Banco Central decretou a liquidação do Banco Cruzeiro do Sul, que estava em Regime de Administração Especial Temporária (RAET) desde 4 de junho de 2012. A instituição financeira detém cerca de 0,25% dos ativos do sistema bancário e 0,35% dos depósitos, segundo o BC.

A liquidação abrange a controladora do Banco Cruzeiro do Sul, a Cruzeiro do Sul Holding Financeira S.A., e as empresas: Cruzeiro do Sul S.A Corretora de Valores e Mercadorias; Cruzeiro do Sul S.A. DTVM; e Cruzeiro do Sul S.A. Companhia Securitizadora de Créditos Financeiros, que também se encontravam submetidas ao RAET.
Banco Prosper

O BC também decretou a liquidação do Banco Prosper, que teve proposta de mudança de controle para o Banco Cruzeiro do Sul não aprovada pelo Banco Central, depois de sucessivos prejuízos que vinham expondo seus credores a risco anormal, a deficiência patrimonial e a descumprimento de normas aplicáveis ao sistema financeiro.
O Banco Prosper é instituição financeira que detém aproximadamente 0,01% dos ativos do sistema bancário e 0,01% dos depósitos.

Do total de depósitos à vista e a prazo do Banco Cruzeiro do Sul e do Banco Prosper, cerca de 35% e de 60%, respectivamente, contam com garantia do FGC.

Banco Central

Em nota, o Banco Central afirmou que "continuará tomando todas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades, nos termos de suas competências legais. O resultado das apurações poderá levar à aplicação de medidas punitivas de caráter administrativo e a comunicações às autoridades competentes, observadas as disposições legais aplicáveis".

O comunicado divulgado nesta manhã afirma que, nos termos da lei, permanecem indisponíveis os bens dos controladores e dos ex-administradores do Banco Cruzeiro do Sul e ficam indisponíveis, a partir de hoje, os bens dos controladores e dos ex-administradores do Banco Prosper.

Histórico
A venda a outra instituição financeira era uma das duas condições para evitar a liquidação do banco Cruzeiro do Sul sob intervenção. A outra era de que credores do banco aceitassem um desconto médio de 49% nas dívidas. Como hoje vence uma dívida externa do Cruzeiro do Sul no valor de US$ 1,5 bilhão, não havia mais tempo para negociar.

O patrimônio líquido do Cruzeiro do Sul está negativo em R$ 2,23 bilhões e fontes ouvidas pela Agência Estado avaliaram que o rombo na instituição pode ser maior do que os R$ 3 bilhões, algo como R$ 4,5 bilhões ou até mais. Esse pode ter sido, segundo as mesmas fontes, um dos motivos que fizeram os possíveis candidatos interessados em comprar o banco desistir do negócio.

Ontem os papéis da instituição dispararam e subiram 24,50%, um sinal de que o mercado acreditava numa solução que não a liquidação.
(Com Agência Estado e Economia & Negócios)

2 comentários:

  1. Oi Gilmar,em relação quem tem empréstimo consignado,como fica? Ainda haverá os descontos na folha de pagamento?. Obrigada.
    Janaína

    ResponderExcluir
  2. Janaína e demais clientes do Cruzeiro do Sul,

    Quem tiver compromisso como empréstimo consignado deve aguardar orientação do Banco Central. O mais provável é que serão mantidas as operações de débitos normalmente.

    Os mais prejudicados, a priori, são os funcionários.

    Não deixem de verificar as orientações do Banco Central.

    ResponderExcluir