segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Não deu nos Jornais e TVs

Justiça Nega Intervenção na Bancoop

Veja a Nota divulgada pela Bancoop, avisando que a Justiça negou o pedido de intervenção na Bancoop. O curioso é que a “grande imprensa”, a que toda hora está falando do “mensalão e da Justiça”, ignorou esta sentença.

Todo ano eleitoral é assim, o PSDB pega um dos seus advogados, articula com algum procurador e cria uma série de fatos políticos contra o PT. A Imprensa, articulada com o PSDB, dá destaque enorme e diz que o pessoal do PT vai ser preso etcetra e tal. Depois que passam as eleições, a Justiça não acata as baixarias do PSDB e tudo volta o normal até as próximas eleições.

E pensar que, tanto no PSDB, quanto na Imprensa, já houve tanta gente boa lutando contra a ditadura militar e pelas Liberdades Democráticas! Que tristeza!

O pior é que, até novembro, vamos viver este inferno astral novamente.
Quando mudaremos? Como consolidar uma nova hegemonia democrática, moderna e valorizadora dos espaços públicos e privados?

Leiam a Nota da Bancoop:

Justiça nega intervenção

A Justiça negou pedido da promotora Karyna Mori, que, em atendimento à decisão do
Conselho Superior do Ministério Público ocorrida há quase 10 meses, solicitou
liminarmente a intervenção na Bancoop e o afastamento da diretoria da cooperativa.

Em sua decisão, o juiz da 4ª Vara Civil da Capital afirma que “não existe prova inequívoca de prática de atos fraudulentos por parte da atual diretoria da Bancoop” e que não há razão para “a adoção das medidas drásticas pleiteadas”.

“Em suma, a Justiça entendeu que não existem elementos para a intervenção na cooperativa, ressaltando a existência de Acordo Judicial que confere tratamento adequado aos interesses dos cooperados. Diante disso, não se demonstram razões para a intervenção, tampouco para o afastamento da diretoria e o bloqueio de bens da entidade e de seus dirigentes”, resume o advogado Pedro Serrano.

A promotora Karyna Mori entrou com Agravo de Instrumento contra a decisão. Mas, já em Segunda Instância, o Desembargador Donegá Morandini determinou que o Agravo, seja julgado pela 10ª Câmara de Direito Privado, a mesma que validou o Acordo Judicial celebrado entre a Bancoop e Ministério Público.

Em seu despacho, o Desembargador citou a manifestação da Bancoop, ressaltando que “a propositura da presente demanda se encontra prejudicada em face da propositura de idêntica Ação Civil Pública” que “tramitou perante a 37ª Vara Cível do Fórum João Mendes” e “foi parcialmente reformada por decisão prolatada no Recurso de Apelação pela 10ª Câmara de Direito Privado do E. Tribunal de Justiça de São Paulo”.

“Tal despacho mostra que os Desembargadores estão atentos ao caso e entende que a discussão é correlata à realizada pela 10ª Câmara de Direito Privado, que decidiu pela validade do Acordo Judicial celebrado entre a cooperativa e o MP”, explica o advogado Pedro Serrano.

A Bancoop continuará cumprindo o Acordo Judicial com o MP

e trabalhando na apresentação de soluções aos seus cooperados
.

Convoca os cooperados que ainda têm pendências para negociar seus débitos e as comissões de cooperados para busca de soluções das seccionais com unidades a serem entregues se mantém aberta a propostas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário