terça-feira, 14 de agosto de 2012

Banco do Brasil também apresenta lucro menor

BB acompanha bancos privados e reduz resultado

Os grandes bancos estão aumentando as provisões e com isto diminuindo o resultado neste trimestre. Somente o BTG e a Caixa registraram aumento quando comparados com o ano passado. O curioso foi que o BB acompanhou os grandes bancos privados, com isto, o movimento deixa de ser “pressão dos privados”, para ser “pressão do sistema financeiro” para o governo “compensar a redução das taxas de juros”.

É preciso estar atento e forte...

Vejam a informação que saiu no site do Estadão de hoje:

Banco do Brasil tem lucro de R$ 3 bilhões no 2º trimestre

Resultado mostra recuo de 9,7% no lucro líquido na comparação com o mesmo período de 2011;
Inadimplência tem leve queda, mas provisões crescem no semestre

14 de agosto de 2012 | 8h 43 - Aline Bronzati, da Agência Estado

SÃO PAULO - O Banco do Brasil apresentou lucro líquido de R$ 3 bilhões no segundo trimestre deste ano, declínio de 9,7% na comparação com o mesmo intervalo de 2011.

Perante o primeiro trimestre, houve elevação de 20,2%. De janeiro a junho, o banco teve lucro líquido de R$ 5,5 bilhões, queda de 12%.

O BB encerrou junho com ativos totais de R$ 1,1 trilhão.
Em 12 meses, os ativos da instituição aumentaram 16,3%.

A carteira de crédito do BB, incluindo avais e fianças, totalizou R$ 508,1 bilhões no final de junho, expansão de 7,5% ante março e de 20,3% em 12 meses. Na pessoa física, houve expansão de 20,7% em 12 meses.

Quando considerado o Banco Votorantim e carteiras adquiridas, a alta foi de 13,6% em um ano e 5% ante o trimestre anterior. No segmento de empresas, o crédito cresceu 10,7% no segundo trimestre ante os três primeiros meses do ano e 22,4% em 12 meses.

O patrimônio líquido do BB ficou em de R$ 62,3 bilhões em junho, alta de 14,1% ante o mesmo período do ano passado. Já o retorno sobre o patrimônio líquido médio do banco público foi de 19,3%, inferior aos 25,4% vistos no mesmo período do ano passado.

O BB encerrou o semestre com 19,5% de participação de mercado.

No conceito ajustado o lucro líquido do BB ficou em R$ 2,986 bilhões no segundo trimestre, declínio de 7,6% ante o mesmo intervalo do ano passado. No semestre, a cifra apresentada foi de R$ 5,690 bilhões, queda de 7,5%, na mesma base de comparação.

Inadimplência tem leve queda

O índice de inadimplência do Banco do Brasil encerrou junho com leve queda de 0,1 ponto porcentual, passando de 2,2% no primeiro trimestre deste ano para 2,1% ao final de junho, considerando os atrasos acima de 90 dias.

As provisões para devedores duvidosos (PDD)
totalizaram R$ 6,934 bilhões no primeiro semestre deste ano, aumento de 26,57% na comparação com os R$ 5,478 bilhões registrados no mesmo período de 2011. As despesas com PDD aumentaram 20,7% no segundo trimestre deste ano ante o mesmo intervalo do ano passado. A variação, segundo o BB, está em linha com o crescimento da carteira de crédito (classificada) de 19,9% no período.

Se desconsideradas as operações do Banco Votorantim, a carteira de crédito classificada do BB cresceu 22% em relação a junho de 2011, porcentual superior ao aumento das respectivas despesas de PDD no período, de 12,6%.

Segundo o relatório que acompanha as demonstrações do BB, no segundo trimestre, houve reversão de PDD adicional no montante de R$ 223 milhões, tratada como "item extraordinário".

Nenhum comentário:

Postar um comentário