sábado, 9 de junho de 2012

Espanha sob Intervenção - II

PIGS em desespero

Os especialistas econômicos já tinham jogado a praga, chamando os países frágeis economicamente de “porcos” – PIGS, em inglês. Portugal, Irlanda, Grécia e agora Spain, de Espanha.
Agora os quatro já formalizaram o pedido de ajuda da União Europeia.
O mundo vai tremer.

Vejam a matéria da Agência Estado e leia os jornais de amanhã.
Este domingo todo mundo que é sério vai estar lendo os jornais especializados.

Espanha pede ajuda a UE e se torna 4º país europeu vítima da crise


Nenhum valor foi divulgado, mas FMI deverá supervisionar programa de ajuda ao país

09 de junho de 2012 | 14h 51 - Patricia Lara, da Agência Estado

BRUXELAS
- A Espanha se tornou a maior vítima da crise da dívida da zona do euro neste sábado, quando o país informou que pedirá assistência financeira da União Europeia para fortalecer seus combalidos bancos. A Espanha vai se tornar o quarto país da zona do euro a pedir ajuda, após Portugal, Irlanda e Grécia.

O ministro das Finanças da Espanha, Luis de Guindos, afirmou, em uma entrevista coletiva, que a União Europeia vai conceder à Espanha um empréstimo que o governo vai canalizar para os bancos que precisarem de recursos.

A ajuda ocorre após dias de negociação entre autoridades espanholas e da União Europeia que culminaram com uma teleconferência realizada neste sábado, na qual foi acertado o arcabouço do apoio. As autoridades da União Europeia vinham pressionando a Espanha a concordar com um pacote de ajuda antes das eleições da Grécia no próximo fim de semana, já que eles temem que o fato pode lançar uma nova onda de turbulência nos mercados financeiros.

Em um relatório divulgado na noite de sexta-feira (dia 8), o Fundo Monetário Internacional (FMI) avaliou que os bancos da Espanha precisam separar mais 37 bilhões de euros para cobrir possíveis perdas no caso de um cenário econômico adverso. Esses fundos adicionais seriam um acréscimo a dois esforços anteriores de aumentar as provisões, nos quais o governo espanhol exigiu que os bancos do país separem um total de mais de 80 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones. (Patricia Lara)

O FMI deve, provavelmente, exercer um papel supervisor do programa de assistência espanhol, averiguando como a ajuda será aplicada, afirmaram as duas autoridades.

"Estamos perto de um acordo no qual o FMI vai ter um papel supervisor sobre como os fundos do resgate serão utilizados. Uma vez acertado, a Espanha requisitará a ajuda", afirmou uma das fontes. As notícias surgiam após o encerramento de uma teleconferência dos ministros de Finanças da zona do euro. As discussões se prolongaram por duas horas e meia.

A avaliação sobre a situação espanhola divulgada pelo FMI, divulgada dois dias antes do previsto, explica que "o núcleo do setor financeiro espanhol está bem administrado e resistiria a novos choques, mas ainda existem grandes vulnerabilidades no sistema".

O exame do FMI "não teve por objetivo estabelecer um número definitivo para as necessidades de capital, mas detectar deficiências críticas em alguns segmentos e instituições determinadas", disse o comunicado da instituição.

"Num cenário desfavorável, os maiores bancos estariam suficientemente capitalizados para resistir a novas deteriorações, enquanto que vários bancos necessitariam aumentar suas reservas de capital em cerca de 40 bilhões em termos agregados". As informações são da Dow Jones e EFE

Um comentário:

  1. É isso Gilmar! Imprensa informando. Abs fraterno.

    ResponderExcluir