segunda-feira, 25 de junho de 2012

Daniel e as Flores no Campo

A vida é assim

Joel vai para Ouro Preto em Minas Gerais e deve voltar
com muitas fotografias desta Cidade Histórica e cheia de flores.

Já Daniel, tem um belo sítio no interior de São Paulo,
onde a família, entre outras coisas, cultiva flores belíssimas.
Neste final de semana ele enviou algumas fotos.

Vejam o contraste de cores, entre as flores e o verde da mata.



Agora veja outro perfil da mesma flor.



E agora vejam estas orquídeas.




E pensar que, além de cuidar de flores, sítio e família,
Daniel também é sindicalista...

Eu não consigo ir para Ouro Preto nem para o sítio,
mas consigo tirar dezenas de fotos das ruas e jardins da Vila Madalena.
Depois eu vou mostrá-las para vocês.

Os Ipês estão deixando a cidade de São Paulo como um Jardim de Luz.
Quando vocês descerem a Rua da Consolação, olhem para o lado esquerdo e vejam a quantidade de pés de Ipê Rosa que estão floridos dentro do Cemitério.

Qualquer hora eu vou parar o carro e sair tirando fotos dos Ipês
de dentro do Cemitério da Consolação e da Dr. Arnaldo.

Ainda bem que São Paulo tem muitos cemitérios.
Eles estão sempre floridos...

Um comentário:

  1. carlos augusto barão25 de junho de 2012 23:57

    Nêgo Véio, depois de muito tempo, acho que vou conseguir comentar em seu blog, pois o Sérgio Vianna me explicou direitinho.
    É com imenso prazer que posso comunicar contigo, mesmo que virtualmente, pois você junto com o Augusto Campos, Luizinho, Gushi, foram os meus grandes líderes nos tempos do movimento sindical.
    Ajudamos a criar O DNB que depois passou a CNB e finalmente a CONTRAF, que muitos não sabem da dificuldade que foi na época, pois vivíamos o final da ditadura militar e eram poucos os sindicatos de bancários filiados à CUT.
    Com a ajuda firme do SEEB São Paulo e Rio de Janeiro, conseguimos ganhar o Sindicato dos Bancários de Juiz de Fora MG, dando grande impulsão ao sindicalismo cutista bancário em Minas Gerais com a vitória no SEEB Belo Horizonte, Uberaba, e a criação dos sindicatos de Divinópolis, Patos de Minas, e outras vitórias que não me recordo, conseguimos atingir a marca de 11 sindicatos bancários cutistas em Minas Gerais. Fundamos aqui em Minas a Fetec, que hoje recebe a denominação de Fetraj, onde também tive a honra de presidir.
    Espero Gilmar, se você permitir, participar muitas vezes de seu blog, como forma de matar a saudade e também para não dizer que não falei das flores.
    Abraços,
    Barão

    ResponderExcluir