quarta-feira, 16 de maio de 2012

A Terra é a nossa Pátria

Sim, Um outro mundo é possível

Mesmo o avião sendo atingido por um raio, o novo presidente da França não desistiu de ir à Alemanha deixar claro que “a Europa e o Mundo estão olhando para a França, esperando um novo modelo econômico e social”.

Mesmo sendo um mundo mais humilde, mais simples, porém mais inclusivo, mais tolerante com as dificuldades das pessoas e dos povos, um mundo mais solidário, menos ganancioso.

Por incrível que pareça, o século XXI continua se transformando sem precisar levar à Europa à guerra total. Os países subdesenvolvidos e mesmo os países pobres estão se fazendo mais presentes na política e na economia. Pena que a ONU esteja tão fragilizada.

Os movimentos sociais e a mídia alternativa estão começando a mostrar novos caminhos, pacíficos, porém são caminhos que mostram que a economia precisa ser modificada para priorizar as pessoas e à natureza.

O mundo precisa mais de políticas públicas do que de automóveis e bolsas de valores. A economia de mercado é importante, mas as políticas públicas são imprescindíveis para se garantir saúde, educação, transporte, alimentação, moradias, trabalho e aposentadoria para todos.

Vejam estas flores e esta música.


Vejam as flores numa pequena plantinha:








Agora vejam abaixo,
os mesmos tipos de flores,
em uma árvore maior.



Todas estas flores estão perto de escolas para crianças e adolescentes.

Talvez elas não percebam, mas a beleza está presente.




Em suas ruas e em sua cidade, também devem existir muitas flores.
Passem a prestar atenção nelas e nas músicas.

Se você tiver um mínimo de sentimento,
vai concordar que “A Terra é nossa Pátria”
e que “Um outro mundo é possível”.

Uma mesma árvore com flores de várias cores, como a Terra.
Esta é uma árvore da Mata Atlântica, muito comum em São Paulo.

E agora uma música, cantada em todos os continentes:

Stand by Me

3 comentários:

  1. Grande Camarada Gilmar Carneiro,

    Hoje, 16 de maio de 2012, quase três décadas depois, a presidenta Dilma Rousseff instalou a Comissão da Verdade. Na Argentina, comissão semelhante foi instalada em 1983.

    Acompanhada dos ex-presidentes da República José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma fez um emocionado discurso e demonstrou com seu gesto a busca de um entendimento cívico nacional com todas as forças políticas, visando encontrar a Verdade, seja nos registros ainda existentes, seja nos relatos dos agentes daquele período em que vivemos os mais tristes dias da Nação.

    Especialmente o último período de ditadura militar, que ceifou vidas e a esperança de muitas gerações ao implantar o medo e o terrorismo de Estado, haveremos de ter uma nova história contada, a história real, que além da história oficial precisa vir carregada pelo simbolismo da Verdade.

    Menor do que muitos de nós pretendíamos, a Comissão Nacional da Verdade ainda assim deve ser bem recebida por todo o povo brasileiro, e mesmo que ela não possa rever atos covardes praticados com a chancela do Estado, a Comissão inicia um novo período de nossa frágil democracia.

    Tão frágil como as belas flores que você, Gilmar, nos mostra nessa postagem. E tão bela democracia quanto heterogênea é a nossa convivência social, política, religiosa, como a natureza nos presenteia todos os dias com tantas cores e formas e cheiros.

    Sendo um vivente que passou pela época mais empanada de nossa República, que sofreu as consequências diretas e indiretas, em família, pelas agressões de toda ordem, registro que a emoção dessa data e dessa palavra presidencial é de um significado sem paradigmas.

    Minha esperança em viver esse dia já fugia do horizonte factual, permanecendo apenas como hipotético resgate social daqueles que só cabem em sonhos. No entanto, uma vez mais nos surpreendemos com a força e com a emoção de nossa querida presidente, que soube dosar desejos e vontades e construir uma ponte a nos levar para outro patamar de nossa história. A história do resgate humano, em todas as suas dimensões.

    ResponderExcluir
  2. Já conhecia a música ... esta maravilhosa esta composição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zé Roberto Barboza17 de maio de 2012 07:45

      Ana Tercia,
      Tudo lindo:
      - o texto do Gilmar, as flores, a música, os cantores....e o seu texto! Valeu!
      Abç, Zé Roberto Barboza

      Excluir