quarta-feira, 30 de maio de 2012

Santander - O mundo quer saber

INFORMAR É PRECISO, Viver?

Como dizia Fernando Pessoa, "Navegar é preciso".
Hoje, mais do que nunca, INFORMAR É PRECISO.

Nos últimos dias tem aumentado a quantidade de países que acessam este blog querendo saber notícias sobre o Santander.
O mais novo foi CABO VERDE, representando o número 71.

Em apenas 15 dias, tivemos visitas de trinta países diferentes,
todos querendo saber a verdade sobre o Santander.

Por isto que “informar é preciso”!

Vejam a lista:

1 – Cabo Verde, 2 – Bulgária, 3 – Suíça, 4 – Bélgica, 5 – Canadá, 6 – Reino Unido, 7 – Espanha, 8 – Portugal, 9 – Rússia, 10 – China, 11 – Índia, 12 – Japão, 13 – Alemanha, 14 – USA, 15 – Uruguai, 16 – Argentina, 17 – Paraguai, 18 – Indonésia, 19 – Guatemala, 20 – Bahamas, 21 – Omã, 22 – França, 23 – Chile, 24 – Colômbia, 25 – Coréia do Sul, 26 – Irlanda, 27 – Israel, 28 – Hong Kong, 29 – Angola e 30 – Dinamarca.

Viram como o Santander é importante?

Esta quantidade de países, em apenas quinze dias,
só reforça que a globalização, através da internet, facilitou a vida de todos,
principalmente os que lutam por liberdade de informação.

Cada vez mais podemos afirmar: A Terra é nossa Pátria!
Temos o encontro do Rio + 20, que é muito importante.
Mas,o mundo precisa se mobilizar contra as chacinas na Síria e na África.
Isto é mais importante do que salvar o euro.
Devemos salvar a União Europeia, desde que esteja a serviço do povo.

2 comentários:

  1. Gilmar...
    Pelo seu feeling...O que você acha?
    Qual sua opnião pessoal sobre a venda do Santander.?

    Há mais probabilidades dele ser vendido? O pessoal diz que não está a venda para despistar o mercado? Vi o mesmo cenário com o Banco do Brasil na Nossa Caixa, com o itaú no Unibanco e por aí vai.

    O que acha?

    Abraços e parabéns pelo Blog.

    ResponderExcluir
  2. Há uma imponderabilidade muito grande.
    O banco não quer vender, mas a crise espanhola afetou muito o sistema financeiro espanhol e o Santander também. O dilema é: preservar o mercado espanhol ou preservar o mercado do Brasil.
    Se conseguirem preservar os dois, mesmo que vendendo partes, ele faz isto, caso contrário, vende "a colônia". Historicamente sempre foi assim, e a Espanha perdeu todas suas colônias... E seu passado.
    Concluindo: Não podemos afirmar categoricamente nada.
    É manter a serenidade e acompanhar os fatos.

    ResponderExcluir