sexta-feira, 25 de maio de 2012

Santander - Estadão com mais notícias

Agora não é mais Sonia Racy

Vejam a matéria que saiu no Estadão de hoje:

Santander tenta venda de fatia no Brasil

O ESTADO DE S. PAULO - Negócios - SÃO PAULO - SP - 25/05/2012 - Pág. B15

O grupo espanhol Santander negocia a venda de uma fatia do banco no Brasil, segundo executivos de alto escalão a par das negociações. Conforme as fontes, a proposta envolve a venda de uma participação de 30% a 40% da operação brasileira.

Os potenciais compradores seriam Banco do Brasil e Bradesco.
Procurados pela Agência Estado, Bradesco e Santander não comentaram o assunto.
O BB negou que esteja negociando.
As conversas entre os bancos já haviam sido noticiadas pela coluna de Sonia Racy.

Segundo cálculos de três analistas, feitos a pedido da Agência Estado,
o Santander Brasil pode valer hoje entre R$ 100 bilhões e R$ 160 bilhões.
O primeiro valor exclui o ágio pago na aquisição do ABN Amro/Banco Real pelo banco espanhol.
Os analistas entendem ser mais provável que as negociações sejam feitas com base no preço com o ágio.

Levando em conta os R$ 160 bilhões, a operação movimentaria de R$ 48 bilhões a R$ 64 bilhões.
Considerando a posição de caixa livre dos bancos brasileiros potenciais compradores,
o Bradesco tem R$ 104 bilhões e o Banco do Brasil, R$ 56 bilhões.
O Itaú, com R$ 105 bilhões, seria o menos provável, segundo especialistas,
porque ainda digere a fusão com o Unibanco.

Uma fonte próxima ao banco espanhol diz que a intenção não é deixar o Brasil,mercado mais lucrativo para o grupo e responsável por 30% dos resultados mundiais.

O objetivo da venda é levantar capital para fazer face às novas exigências do governo espanhol, que quer A 30 bilhões a mais de provisão dos bancos, em meio ao agravamento da crise naquele país.

Além disso, o Santander Espanha tem em sua carteira de crédito participação importante de empréstimos imobiliários. Os analistas observam que, com a recessão e as altas taxas de desemprego naquele país, há o risco da inadimplência aumentar, a bolha imobiliária estourar e o banco precisar ainda mais de capital.

2 comentários:

  1. Não vejo como o Bradesco comprar só 40% - vai investir num banco concorrente ? O mais coerente, em se tratando do Bradesco, é comprar tudo.

    Por outro lado, a compra de parte do Banco faria sentido para um banco estrangeiro (ou mesmo nacional) que queira aumentar de tamanho ou colocar os pés no Brasil.

    Será que não tem chinês na jogada ?

    ResponderExcluir
  2. Entre 100 bilhões e 160 bilhões...???

    A margem de erro da pesquisa dos três analistas está em mais de 60%, considerando o maior valor como referência.

    O IBOPE, o Datafolha e o Vox Populi encontram margem de erro menor... KKK

    ResponderExcluir