quarta-feira, 9 de maio de 2012

PSB e PT juntos em SP

É preciso ouvir o clamor do povo

São Paulo merece respeito e carinho. Assim terminei o texto de ontem informando sobre a reunião que Fernando Haddad teve com os blogueiros e jornalistas no Sindicato dos Bancários de São Paulo.
Neste encontro, várias pessoas perguntaram ao candidato o que ele achava de ter Luiza Erundina como vice na sua chapa. Ele repetiu que ficaria muito honrado, mas que a decisão da indicação do vice caberia aos partidos da coligação.

Se o PSB de São Paulo e do Brasil ouvir o clamor do povo, indicará Luiza Erundina para vice, formando assim uma dupla que motivará a população a participar da campanha eleitoral e da gestão de nossa cidade.

Queremos que, além do PSB e PT, também participem da coligação o PDT, o PC-B e todos os demais partidos que apoiam Dilma. E no segundo turno contaremos com o PMDB. Sem medo de ser feliz!

Vejam a matéria do jornal Valor de hoje:

PSB municipal anuncia apoio a Fernando Haddad
Valor – 09 de maio de 2012

Dirigentes do PSB municipal de São Paulo anunciaram ontem apoio ao pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. O diretório paulistano do PSB aumentou a pressão sobre o comando nacional do partido para firmar uma aliança com o pré-candidato petista na capital e divulgou a preparação de um grande ato político no fim do mês em apoio a Haddad.

O pré-candidato petista reuniu-se ontem com integrantes do PSB e do movimento social "Movimento em Marcha", ligado ao partido. Durante o encontro, o primeiro vice-presidente municipal do PSB, Francisco Gurgel, disse que Haddad é "um dos melhores nomes para São Paulo" e afirmou que seu partido está sintonizado com as propostas do PT. O dirigente declarou que "está trabalhando" para que a sigla apoie o petista.

O secretário-geral do PSB municipal, vereador Juscelino Gadelha, foi enfático ao defender a aliança com o PT. "A decisão [sobre a aliança] é do diretório nacional, mas vamos mostrar que a base quer Haddad", declarou Gadelha. "Temos que mostrar ao nacional que há um movimento pró-Haddad".
Gadelha e outros dirigentes municipais devem se reunir em Brasília nesta semana com integrantes da cúpula nacional do PSB para tratar da eleição paulistana.

Haddad reforçou que o PT e o PSB têm pensamentos semelhantes e convergem em suas propostas.

O petista disse ter "segurança" que os dois partidos poderão "caminhar juntos" nesta eleição.O presidente municipal do PT e coordenador da pré-campanha de Haddad, vereador Antonio Donato, disse que as conversas entre os dois partidos avançaram não só em São Paulo, mas em várias cidades por todo país. "Tenho certeza de que vamos trabalhar juntos".

O presidente do diretório municipal, vereador Eliseu Gabriel, não participou do evento. Procurado pelo Valor, não foi localizado até o fechamento desta edição.
A negociação sobre o apoio ao PT está sob comando do presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O dirigente pessebista disse que o partido só deve se pronunciar oficialmente sobre a composição em junho. Até lá, espera receber o apoio do PT em algumas cidades.

Depois de participar do encontro com integrantes do PSB, Haddad foi questionado sobre qual sua expectativa em relação à pesquisa do Ibope sobre a eleição municipal em São Paulo, que deve ser divulgada entre hoje e amanhã, e respondeu que não trabalha com a perspectiva de crescimento de sua intenção de voto neste momento. A cinco meses das eleições, Haddad afirmou que "ainda é cedo".

"Sinceramente não estou trabalhando com essa perspectiva de crescimento, nem de não crescimento, porque eu penso que ainda está muito cedo realmente", afirmou Haddad. "Não tivemos tempo de televisão. Nosso adversário teve grande exposição.

Coincidentemente a pesquisa [Datafolha, de março] foi feita depois da grande exposição que ele teve. Então essas coisas vão oscilar ao longo do tempo até o começo do horário eleitoral, que é quando o embate vai se dar", disse, referindo-se à suspensão da propaganda partidária do PT no primeiro semestre pelo Tribunal Superior Eleitoral. No Datafolha mais recente, de março, Haddad teve 3% das intenções de voto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário