domingo, 20 de maio de 2012

Folha - Mentiras e Verdades

Guerra Eleitoral e no Metrô

O que leva uma pessoa ou uma empresa a repetir no erro, mesmo quando isto gera prejuízo?
A Folha de São Paulo teve papel relevante na redemocratização do Brasil, foi importante na campanha pelas Diretas Já! Com a redemocratização, este jornal fez a opção pelo neoliberalismo na economia e pela manipulação da informação na política. Publicando mais versões do que fatos.

Para nós, que somos leitores assíduos, dá uma dor no coração. É como se um parente nosso descambasse para a marginalidade. Ser neoliberal não é crime, mas manipular sistematicamente as informações é uma “esperteza” quase que criminosa.

Os militantes mais duros, sempre riem de mim por que continuo assinante da Folha e do Estadão. Dizem que sou masoquista. Mas, com a criação do blog, creio que acabo contribuindo para democratizar o debate sobre a imprensa no Brasil.

Sou um petista covista e montorista, sou defensor da Igreja e tive participação ativa com os militantes das Comunidades de Base e das Pastorais da Igreja Católica na época da Teologia da Libertação. Quando fui eleito presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, fiz questão de convidar Mario Covas para nossa posse e ele compareceu e fez uso do microfone, saudando nossa vitória.

Sou contra os neoliberais, sejam eles do PSDB ou do DEM. Não sou contra os tucanos verdadeiramente sociais-democratas. Portanto, a guerra eleitoral não é entre petistas e tucanos.
A disputa eleitoral em São Paulo é entre um projeto inclusivo para toda a população, contra um projeto elitista, que acha que “os pobres sabem qual é seu lugar”.

Mas a Folha, que é serrista, voltou a apelar depois do acidente com o Metrô de São Paulo.
Na edição deste Domingo, dia 20, na página A14, o jornal apresenta uma pagina inteira sobre a “Guerra nos Transportes”, onde é evidente a cobertura pró-Serra/Alckmin. Nos textos, no tamanho dos retângulos, nas citações, etc.

O jornal, quando quer, é o maior investigador do Brasil,
mas, quando não quer, faz de conta que não sabe.

Quero ver a Folha MOSTRAR se são verdadeiros ou não, os números que a assessoria do PT na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo apresentou. Tanto o deputado federal Zaratini, como o Deputado Estadual, Luis Claudio Marcolino, apresentaram os números como eu divulguei estes números no dia 18 de maio, passado.

A Folha, além de ignorá-los conscientemente, ainda destacou a declaração de Alckmin: “Lamento profundamente que a política venha para essa baixeza eleitoral, de tirar casquinha de quem NÃO CONTRIBUI. Não tem UM CENTAVO do PT no metrô e em trem em São Paulo”.

Declaração mentirosa, vergonhosa e mais vergonhoso ainda é a Folha reproduzi-la a exaustão.

Não há dinheiro do PT, mas há muito dinheiro da ADMINISTRAÇÃO PETISTA no Governo Federal. Muito mais dinheiro do que FHC e Malan repassaram para o Metrô.

Volto a reproduzir a matéria enviada pelo Deputado Estadual Marcolino,
inclusive dando os parabéns pelo aniversário hoje, deste parlamentar que está fazendo um mandato bem acima da média dos políticos brasileiros. Já foi um ótimo sindicalista e está sendo um ótimo parlamentar.
Quem sabe, a Folha devesse ouvi-lo mais vezes.

Mentiras e Verdades sobre o Metrô
Blog de 18 de Maio de 2012.
Deputado Marcolino mostra os números

Apesar das contradições, o pessoal do PSDB gosta de mostrar os números do Estado de São Paulo, como se independessem de recursos do Governo Federal. Na verdade, os tucanos escondem quando há repasses da União para o Estado de SP e para os Municípios do Estado de SP.

Foi assim na reabertura dos Concertos na Sala São Paulo, quando comentaram ironicamente com a Ministra da Cultura que SP fazia cultura de qualidade sem recursos federais. Depois tiveram que reconhecer que há repasses. Na Habitação é a mesma coisa, como também é verdade na educação e nos bancos solidários.

Agora com o Transporte é a mesma coisa. O governo de SP vem dizer que não há e não houve repasses do governo federal. É claro que tem jornais e TVs que acreditam e reproduzem meias verdades, ou mentiras. Mas, agora existem as redes sociais e fica mais difícil esconder as informações.

A verdade é que o Metrô é imprescindível,todos queremos que ele seja da melhor qualidade possível e que atenda as necessidades de toda a Grande São Paulo.

O Metrô precisa funcionar com segurança, qualidade e por toda Grande São Paulo.
São Paulo não pode parar!

Vejam os dados divulgados pelo Deputado Estadual Luiz Claudio Marcolino.
Estas informações foram levantadas pela assessoria da bancada estadual do PT na Assembléia Legislativa de SP.

Acidente no Metrô
PSDB deixou de investir R$ 208 mi na modernização do Metrô em 2011
16/05/2012 - Imprensa PT - ALESP


O governo do Estado tem deixado de investir na modernização e recapacitação do Metrô.
De acordo com análise realizada pela assessoria da Liderança da Bancada do PT na Assembléia Legislativa, a comparação entre o balanço do Metrô e o Orçamento do Estado (que inclui as empresas), mostra que deixaram de ser investidos cerca de R$ 208 milhões na modernização da rede em 2011. Isso representa 31% do orçado inicialmente.

Só na Linha 3 – Vermelha, onde ocorreu o acidente desta quarta-feira (16/5) que feriu cerca de 50 pessoas, os tucanos, no governo do Estado de SP, deixaram de investir mais de R$ 65 milhões, ou 25% do orçado.

Se forem levados em consideração os investimentos na rede atual e os investimentos na ampliação, o resultado é ainda mais assustador. Dos R$ 4,5 bilhões orçados para 2011, só foram executados R$ 1,16 bilhão, ou seja, houve um corte de quase 74%.

De 1999 a 2011, deixaram de ser investidos R$ 10,3 bilhões, o equivalente a 25,8 quilômetros de rede metroviária (R$ 400 milhões/km, dados do Metrô).

Assim, não é de se estranhar que uma falha técnica seja a hipótese mais provável da causa do acidente no Metrô desta quarta entre as estações Carrão e Tatuapé.Tanto o Sindicato dos Metroviários, quanto o delegado titular da Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano), Valdir Rosa, sustentam essa hipótese.

Governo federal tem investido no Metrô de São Paulo

O governo federal, com Lula e Dilma Rousseff à frente, investiu, em média, o equivalente para se construir 3,24 km por ano de Metrô em São Paulo. O governo de Fernando Henrique Cardoso investiu apenas o equivalente 0,5 km por ano.

Os governos Lula e Dilma autorizaram cerca de R$ 15 bilhões para a rede metroferroviária junto ao BNDES, CEF, JBIC, BIRD e BID, enquanto FHC emprestou pouco mais de R$ 4 bilhões. O PT à frente do governo federal emprestou 226% a mais que os tucanos para obras de expansão do Metrô e da CPTM.

Lula e Dilma também investiram R$ 167 milhões para a CPTM e Metrô do Orçamento Geral e R$ 40 milhões para a linha 18 – Bronze do Metrô.

Um comentário:

  1. Gilmar
    A imprensa patronal treme. As redes sociais quebraram o monopólio da notícia e da opinião.
    Damos mais um passo rumo à verdadeira Democracia.
    Esse é o caminho acertado e seu blog "lúcido, válido e inserido no contexto..."
    Abraços
    Gerva Martins

    ResponderExcluir