sábado, 19 de maio de 2012

Dilma, Dom Paulo e o Brasil

Duas Histórias do mesmo Brasil

Um gesto muito significativo esta iniciativa de Dilma visitar Dom Paulo,
lá no Instituto Paulo VI, em Taboão da Serra, cidade vizinha de São Paulo.

Além da importância histórica de cada um e do que eles representam,
o próprio local serviu para reuniões fundamentais, tanto na criação e organização da CUT, como do PT.
A base da militância vinha destas três organizações: Teologia da Libertação, CUT e PT.
Daí para frente, nós conhecemos a história.

Dom Paulo simboliza a Igreja dos oprimidos, dos pobres, dos índios e das minorias em geral.
Dom Paulo simboliza uma coragem que poucos brasileiros já tiveram.

Dilma representa um passado recente e um presente que só nos dá alegria.
Dilma está mostrando novos caminhos para todos nós.

Vejam o texto do Blog do Planalto:

Presidenta Dilma se encontra com Dom Paulo Evaristo Arns


São Paulo – 18/05/12 – Blog do Planalto.


Observação: Por várias vezes tentei e não consegui copiar a foto do Blog do Planalto, procurando em outros noticiários, acabei conseguindo copiar da Folha de SP. A Folha é assim, adora perturbar o PT, mas, na hora que a gente precisa, acaba usufruindo da sua tecnologia. Democracia é boa por causa disto. Há várias opções. Um obrigado especial à Folha.

Vou manter as flores como complemento a este momento histórico.

Enquanto eu não consigo copiar a foto dos dois, vou anexar uma foto da Vila Madalena florida, com flores coloridas e perto de uma escola católica para crianças e adolescentes.


Os jovens desta escola, com o tempo, saberão da importância histórica de Dilma e de Dom Paulo.

Voltemos ao noticiário do Blog do Planalto:

A presidenta Dilma Rousseff visitou hoje (18), em Taboão da Serra (SP), o Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns.

A visita ocorre na mesma semana em que a presidenta instalou a Comissão da Verdade, que terá prazo de dois anos para apurar violações aos direitos humanos ocorridas no período entre 1946 e 1988, que inclui a ditadura militar (1964-1985).

Dom Paulo foi o criador da Comissão Justiça e Paz para defender presos políticos e foi um dos coordenadores, na década de 1980, do projeto Brasil Nunca Mais, que coletou documentos sobre a repressão durante a ditadura militar.
Devido ao temor de apreensão do material durante a ditadura, os documentos foram microfilmados e remetidos ao exterior. Em 2011, os documentos foram repatriados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário