terça-feira, 29 de maio de 2012

Brasil à Venda

Um país sem auto-estima

Cada vez que vejo um brasileiro vender sua empresa para um estrangeiro, morro de vergonha e de tristeza. Lembra-me um fazendeiro no interior da Bahia que vendeu suas terras produtivas para viver de poupança, por que a inflação era alta e sobrava mais dinheiro no banco do que plantando. Quando a inflação baixou o ex-fazendeiro passou a viver do apoio dos filhos.

Nós somos um país de vira-latas.
Não sabemos ser grande em personalidade como é grande territorialmente nosso país. Não foi por acaso que ouvi histórias ridicularizando os empresários brasileiros, tanto na Alemanha como na Holanda.

Além de venderem o Fogo de Chão, venderam também a YPIOCA.

Nem cachaça os empresários brasileiros se preocupam em preservar.
Já venderam as usinas de cana-de-açúcar, vendem até a alma.
Não quero nem falar do Pão de Açúcar.

Vergonha, vergonha e mais vergonha!
Só falta venderem os produtores de PAMONHA!


Oh, Dilma, já que os homens não tem auto-estima,
use a sua liderança para melhorar a auto-estima de nossos empresários e empreendedores.
Vamos fazer uma campanha nacional!

GP vende rede de churrascarias Fogo de Chão por US$ 400 mi

UOL DE SÃO PAULO - 29/05/2012 - 07h59

O fundo de investimentos GP Investments anunciou nesta terça-feira que vendeu a FC Holdings, empresa que é dona da rede de churrascarias Fogo de Chão, por US$ 400 milhões. O novo dono da rede é o fundo de investimentos americano Thomas H Lee Partners.
A GP informou que pretende concluir a operação no terceiro trimestre deste ano, após a implementação de algumas condições do negócio que não foram informadas.

Fundada em 1979, a rede Fogo de Chão tem 18 restaurantes nos Estados Unidos e sete no Brasil. Eram nove unidades quando a GP adquiriu sua primeira participação na rede, de 35%, em agosto de 2006.
Em agosto do ano passado, o fundo de investimentos passou a deter 100% de participação.
"A GP Investments teve um papel fundamental no processo de institucionalização da companhia, permitindo à Fogo de Chão implementar uma estratégia agressiva de expansão. A companhia mais do que dobrou seu número de restaurantes passando de nove para vinte e cinco durante o período de investimento, sendo atualmente dezoito unidades nos Estados Unidos e sete no Brasil, e está bem preparada para dar continuidade ao seu ciclo de crescimento", informou a GP em nota.


Dona da Smirnoff compra cachaça Ypióca

Gigante britânica Diageo paga R$ 900 mi por empresa cearense, fundada em 1846 e a terceira em vendas no Brasil
Nordeste passa a ser a região de maiores vendas do grupo, que também é dono do uísque Johhnie Walker

GABRIEL BALDOCCHI – Folha – 29maio2012.

De olho em fortalecer sua operação no Brasil para reduzir a exposição aos debilitados mercados maduros,
a britânica Diageo comprou sua segunda marca de cachaça.
O grupo dono da vodca Smirnoff e do uísque Johnnie Walker pagou

R$ 900 milhões pela cearense Ypióca, a terceira em volume no país e fundada em 1846.
A Diageo já vende a artesanal Nega Fulô.

O negócio fortalece a operação do grupo no Nordeste -região responsável por 80% das vendas da Ypióca- e amplia a rede de distribuição.
A cachaça cearense chega hoje a cerca de 250 mil pontos de venda,
ante os 160 mil das outras marcas da Diageo.

A ideia é otimizar as duas direções: a cachaça para o resto do país, e vodca, uísque e os outros para o Nordeste.
"Vemos grande oportunidade de complementariedade", diz o presidente do grupo no país, Otto von Sothen.
A compra inclui duas fábricas no Nordeste e um centro de distribuição em Guarulhos. A família Telles, antiga proprietária, mantém outras quatro unidades que também produzirão para a Ypióca.
Para o presidente do Ibrac (Instituto Brasileiro da Cachaça), Vicente Bastos, o preço da aquisição se justifica pelas altas margens alcançadas pela companhia.

Um comentário: