quinta-feira, 10 de maio de 2012

BB - Quem alimenta à Folha?

Vazar informações faz parte da guerra?

Interessa a quem, usar a Folha de São Paulo para antecipar decisões governamentais e do próprio Banco do Brasil?

Se uma instituição, ou mesmo uma família, não for capaz de tomar decisões e garantir que não sejam vazadas ou plantadas nos jornais e na imprensa em geral, alguma coisa está errada.

Para as pessoas que vão sair, a situação fica vexatória, já que estão no cargo, mas não decidem mais nada em função de, publicamente, todo mundo saber que serão substituídas. No mínimo, isto é falta de “decoro”.

A quem interessa fragilizar o Banco do Brasil?


Vejam a matéria abaixo, publicada na Folha e na UOL de hoje:

Dilma afasta vice do BB e põe ex-senador do PR em seu lugar

ANDREZA MATAIS - NATUZA NERY - DE BRASÍLIA – UOL e Folha – 10/05/12

A presidente Dilma Rousseff decidiu indicar um político do PR para a cúpula do Banco do Brasil: o ex-senador Cesar Borges substituirá Ricardo Oliveira na vice-presidência de Governo do BB.

Ao convidar César Borges (BA), Dilma Rousseff contempla o PR, um partido insatisfeito com a perda de espaço no governo, sobretudo após as denúncias de irregularidades no Ministério dos Transportes, no ano passado, que derrubou o senador Alfredo Nascimento (PR-AM).

A troca inicia a dança de cadeiras deflagrada pelo Planalto em uma tentativa de também pôr fim à disputa de poder entre o comando do Banco do Brasil e a presidência da Previ, maior fundo de pensão da América Latina.

Ricardo Oliveira é apontado no governo como um dos responsáveis por alimentar a guerra entre o presidente do BB, Aldemir Bendine, e o chefe da Previ, Ricardo Flores. Bendine e Flores não se falam há mais de um ano. Para o governo, foi Oliveira quem vazou informações à mídia sobre Allan Toledo, ex-vice-presidente do banco investigado por movimentação financeira atípica.

Toledo é ligado a Flores, e a notícia foi interpretada no Planalto como um ataque ao presidente da Previ.
Próximo ao ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), foi Oliveira quem indicou Bendine para o cargo. Ele não foi encontrado pela Folha ontem para falar sobre o assunto.

Como a Folha antecipou em abril, o Ministério da Fazenda também já decidiu substituir Flores no comando da Previ e começou a buscar um sucessor.

No páreo estão dois vice-presidentes do banco:
Ivan de Souza Monteiro (Gestão Financeira, Mercado de Capitais e Relação com Investidores)
e Robson Rocha (Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Sustentável).

A Folha apurou que Monteiro resistiu a uma sondagem informal feita recentemente, mas a resposta ainda não é considerada definitiva. Ricardo Flores foi avisado que não há mais condições de permanecer na presidência do fundo de pensão dos funcionários do BB. Ele é investigado pela Previ pela compra de uma casa em parte com dinheiro em espécie. O fato foi revelado pela Folha. Seu destino deve ser uma das subsidiárias do banco ou uma diretoria na Vale.

2 comentários:

  1. No PT e no governo está cheio de gente que adora passar informações ao PIG. Sempre foi assim.

    ResponderExcluir
  2. Independente de qualquer coisa, já vai tarde!!! Mas, infelizmente, continuamos sem MULHERES na alta cúpula do BB, que masi parece um "clube do bolinha".

    ResponderExcluir