segunda-feira, 9 de abril de 2012

Manacá do Rio de Janeiro

Como nossos pais

Hoje cedo, depois de fechar a porta da garagem, comecei a descer a rua e liguei o som do carro. De repente veio uma batida forte de bateria e aquela voz inconfundível: “Minha dor é perceber, que apesar de tudo que fizemos...” Era Elis Regina na Rádio USP. Marcante, como sempre e, por mais que seja repetitivo, vale a pena ouvir de novo.

Ainda no trânsito, lembrei-me da matéria do jornal de hoje, sobre a violência em São Paulo, onde aparecem policiais envolvidos com os bandidos. Lembrei-me do Rio de Janeiro e de Joel Bueno, que reagiu quando escrevi que São Paulo tinha passado o Rio no Futebol e na Cultura, e agora estava passando na Violência.

No final de março passado nós fomos ao Rio para o casamento de uma sobrinha. No sábado, dia 24, tínhamos encontro marcado no famoso restaurante “Porcão”. Enquanto meus cunhados e sobrinhos não chegavam, aproveitei para tirar um foto, não do famoso Pão de Açúcar, que fica ao lado do restaurante, mas de um bonito pé de Manacá, com suas flores coloridas. O Pão de Açúcar fica ao fundo na foto e só dá para perceber o monte menor. Afinal, o destaque é o Manacá do Rio de Janeiro.


Elis morou no Rio.
E o Rio continua sendo a cidade mais bonita do mundo.

A imagem do Manacá do Rio de Janeiro, com Elis Regina cantando esta música de Belchior, representa bem a nossa geração. A capital federal do Brasil mudou do Rio para Brasília em 1960, depois veio o golpe militar em 1964, depois os militares acabaram com o Estado da Guanabara e o tempo foi dificultando as coisas para a Cidade do Rio de Janeiro. Querem transformar o Rio apenas em passado.

Mas a beleza natural da Baia da Guanabara continua sendo a coisa mais linda do mundo. O único lugar que chega perto da beleza da Guanabara, é a Baía de Sidney, na Austrália. Mas eu ainda sou mais o Rio.

Aproveito para registrar que estou devendo um texto sobre a opinião dos meus amigos sobre o aniversário do blog. É que já não tenho a agilidade dos jovens. Já me sinto “como nossos pais”. Afinal, minha mãe vai fazer 89 anos e eu vou fazer 59. Somos do século passado.

Como Nossos Pais
- Elis Regina



Um comentário:

  1. Eu reagi só de onda, Gilmar, pra manter a rivalidade acesa...

    O Rio é apenas um balneário decadente. E São Paulo, reconheço, é a locomotiva do Brasil.

    Ainda que seja uma locomotiva diferente. É a única locomotiva do mundo que é empurrada pelos vagões...

    ResponderExcluir