domingo, 4 de março de 2012

A Crise da nossa Imprensa

Capitalismo meia boca

Hoje é domingo, dia sagrado para leitores de jornais e revistas. Mas, por incrível que pareça não recebi nem a Folha de SP nem o Estadão. Sou assinante dos dois jornais, ambos resolveram unificar o entregador, e este, por algum motivo, não apareceu.

Liguei para a Folha perguntando pelo meu jornal, a moça disse que se eu não receber hoje, a empresa acrescentará mais um dia na minha assinatura. E eu fico sem o jornal. Ainda não liguei para o Estadão. Lá, por telefone, é mais complicado que a Folha.

Como estou habituado a ler jornais, depois da caminhada no Parque Villa Lobos, comprei um exemplar de cada, R$5,00 por jornal.
Portanto, gastei mais dez reais para ler os “grandes jornais de domingo”.

Para minha surpresa, só consegui ler uma matéria em cada jornal.
Não é uma loucura? Assinar os jornais e não recebê-los e, quando eu os compro, apesar do tamanho, consigo ler apenas uma matéria em cada jornal.

No Estadão li sobre o restabelecimento das relações entre a China e os Estados Unidos.
Vou reproduzir no blog a boa matéria de Claudia Trevisan.
E na Folha, li a matéria de Elio Gaspari sobre o presidente da OAB. Também vou reproduzir no blog para voces.

Qual é o custo-benefício destes dois principais jornais brasileiros?
Tanto em eficiência de entrega como em conteúdo?
Precisamos refletir sobre isto por que eles falam tanto na importância do capitalismo que esquecem de pequenos detalhes.

Fiquei pensando por que eu fico refém destes jornais?
Na TV não preciso do noticiário da Globo, temos o da Record: Tanto com Ana Paula Padrão como com Heródoto;
na internet não preciso da Folha e do Estadão, temos a uol e os blogueiros, além do mundo plugado na internet;
no rádio temos a Bandeirantes com Boechat, e a Cultura e a USP para ouvir músicas.
Nunca precisei da revista Veja, muito menos agora.

Então, por que não criamos alternativa nos jornais diários?
Porque nosso pessoal progressista é medroso. Tem medo de criar um jornal diário, como o Página 12 na Argentina.
Podemos começar com um jornal pequeno e depois ir aumentando o tamanho.
Temos uma grande demanda reprimida para isto. Falta coragem....

Nunca é tarde para ser feliz!

Um dia ainda vamos ter um jornal progressista, pluralista e competitivo, superando os neoliberais, fast-food da Folha e os tradicionais porém reféns de FHC e Serra do Estadão.

Um outro Brasil é possível!

3 comentários:

  1. Assine o UOL. A assinatura mais barata. Custa, por mês, pouco mais do que vc gastou hoje, comprando os jornais que deveria ter recebido. Vc vai ter acesso à Folha. Todo o jornal. Hoje, o Elio Gaspari está bem fraquinho. Mas tem a coluna do Tostão.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo sabendo que a UOL é da Folha de São Paulo, eu também assino. Assim eu tenho acesso à internet e, como tradicional, gosto de ler jornais e livros manuseando-os. Coisas de velho libertário...

    Mas, meu sonho mesmo é ter o nosso jornal!

    ResponderExcluir
  3. Sonho meu, também... esse jornal não existe por quê? Pura incompetência???

    ResponderExcluir