sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Pitangas e Acerolas

Tornam o Brasil mais próximo

Conheci pitanga quando era criança. No quintal do escritório onde meu irmão trabalhava, tinha um grande pé de pitanga. Quando as frutas caiam a gente se deliciava, comendo e fazendo doces de pitangas. Quando compramos nossa casa na Vila Madalena, plantamos um pé de pitanga. No bairro, tanto nas casas, como nas ruas, é comum a gente encontrar pés de pitanga.

Em janeiro deste ano, ao chegar à casa de nossos pais, em Serrinha, quando chegamos na varanda e olhamos para o quintal, vimos um arbusto cheio de frutos vermelhos. Como já era noite, pensamos que fossem pitangas. Na manhã seguinte, vimos que era um pouco diferente. Ao perguntar fomos esclarecidos que eram acerolas. Fiquei pensando: São primos.

Vejam as frutas no pé de Acerola.


Agora vejam as frutas no pé de Pitanga.


– Este é um pé de pitangas na Rua Isabel de Castela, na Vila Beatriz.

Olhando bem, da para perceber a diferença. O sabor também é diferente. A acerola tem o sabor mais forte que a pitanga.

Vejam também o pé de acerola de Serrinha-Bahia.


Além de dar bonitos frutos, o arbusto também serve para as galinhas dormirem. Quando começa a escurecer a gente ouve o barulho das batidas de asas das galinhas subindo até a parte mais alta. É uma herança primitiva das galinhas caipiras. Um quintal grande e as galinhas soltas. Na Vila Madalena quem dorme nos pés de pitangas são os pássaros.

Mas, para minha surpresa, na Rua Pascoal Vito, também tem uma casa com um pé de acerola cheio de frutos. A Vila Madalena tem pé de pitanga, tem pé de acerola, tem pé de jabuticaba, e tantos outros pés de frutas que tem na Bahia e em muitos outros lugares deste Brasil.

Se a gente conseguir preservar as coisas boas da Vila Madalena, estaremos contribuindo para preservar muitas coisas boas do Brasil. Formando uma grande tropicália.

Nenhum comentário:

Postar um comentário