sábado, 11 de fevereiro de 2012

Olhar Local e Olhar de Longe

As contradições de São Paulo

Pouca gente em São Paulo e no Brasil já ouviu falar de Vargem Grande, no extremo da Zona Sul de São Paulo.
O jornal Estadão já fez uma reportagem longa e bonita. Mas, duvido que as pessoas tenham gravado o conteúdo da reportagem.

Nesta sexta-feira, dia 10, passamos o dia visitando seis comunidade da Zona Sul. Saindo da Praça da Sé às 8:30h. Até Vargem Grande são 53 quilômetros de distância e o tempo para chegar depende do tempo e do trânsito. Mas sempre chegamos e fazemos muitas reuniões.

Depois de Vargem Grande, fomos para Jardim Varginha, depois Vila Natal, depois Vila Ideal, depois Jardim das Gaivotas, e por último fomos para o Cantinho do Céu. Vejam que os nomes dos bairros são sempre acolhedores e sugerem esperança e qualidade de vida.

A imagem comum a todos estes bairros, era a ausência de Agências Bancárias. Afinal, banco não gosta de pobre. Mas, estávamos ali, mais uma vez mostrando aos representantes de Brasilia que “a periferia merece respeito e tem dinheiro para gastar”.

Para provar isto, criamos o Olhar Local Crédito e Capacitação dos moradores, em parceria com a Bancred – cooperativa de crédito dos bancários e o Banco do Brasil, além das entidades comunitárias e do Sindicato dos Bancários de SP. São mini agências operadas por moradores.

Às 5:00h paramos na Av. Kennedy para almoçar, que ninguém é de ferro. Mal sentamos caiu mais uma tempestade para parar o trânsito numa sexta-feira no final da tarde. Cheguei em casa nove horas da noite, cansado porém satisfeito com tudo que vi na “rica” periferia de São Paulo.

No sábado, quando me preparava para ir fazer feira, vi um pequeno vaso com uma flor, um botão e folhas muito bonitas e limpinhas. Vejam que beleza!


Lembrei-me que nos caminhos das vilas e jardins, lá no extremo sul da nossa cidade, as flores variadas daquela árvore que ainda não sei o nome, mas é natural da Mata Atlântica e da Serra do Mar, estas flores nascem na mata. Fazem parte da beleza local. Apesar da correria, eu aproveitei que a caravana parou e tirei uma foto de longe. Da para ver as flores, apesar da distância.


Por todo canto que você passa, encontramos muitas árvores com flores. Mesmo com a intensificação das construções, do Rodoanel e de outras estradas, ainda temos muita mata e muitas flores. Os moradores também plantam em suas casas e em seus jardins. Vejam estas flores dos jardins das pessoas que moram na Zona Sul de São Paulo. Também as encontramos na Vila Madalena, em SP, ou na Praia do Forte, na Bahia.

Flores nos jardins da zona sul.


Cada vez que vamos visitar estas comunidades, ficamos surpresos com a melhoria de vida das pessoas.
Muito comércio, muitos automóveis, melhoria na infraestrutura e muitas construções.

A urbanização cada vez melhor e para nossa satisfação, numa das entidades presenciamos uma reunião da Equipe de Saúde do Bairro com os moradores. Eram médicas, psicólogas, enfermeiras e atendentes. Isto mesmo, todas mulheres. Ah, estas mulheres!

Por falar nas mulheres, o nome Olhar Local foi sugestão de uma das mulheres que atua desde quando as pessoas chegaram em Vargem Grande. Ela dizia: - É preciso prestar atenção no olhar local dos moradores, eles sabem seus problemas. Se os governantes também vissem o que vimos...

E aos poucos, todos estamos aprendendo a ver, com o olhar de perto e com o olhar de longe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário