sábado, 25 de fevereiro de 2012

O Bem-te-vi e o Mar

O bem-te-vi daqui cantou

Já são sete horas da “noite”, apesar do dia ainda brilhar e nós termos acabado de chegar de mais uma caminhada pelo bairro. Vimos muitas flores, árvores, casas e prédios. Ao chegar em casa, nossa filha telefonou de Botucatu avisando que acabara de chegar.

Na segunda-feira, dia 27 ela começa as atividades da Residência 1 na Unesp de Botucatu. Uma grande vitória para todos nós. Amanhã acaba o horário de verão e o Brasil entra de vez na normalidade pós-carnaval.

Hoje, além de reproduzir a matéria da Folha de São Paulo sobre mais um arrastão em nossa cidade, ao ler o jornal Estadão fiquei mais assustado ainda, são quatro páginas de noticias policiais. Em detalhes.

Para não sobrecarregar os leitores com notícias de violências, deixei para retomar o assunto outro dia e resolvi falar do Mar da Praia do Forte, na Bahia.

Aqui em São Paulo tem muitas sabiás, na Bahia tem pouco. Mas na Praia do Forte tem muitos “Bem-te-vi”. Um pássaro grande como um sabiá, amarelo e canta muito bonito. Enquanto escrevo este texto, um bem-te-vi canta pousado na antena da televisão da vizinha. Parece que ele sabia que eu estava falando deles.

Na Praia do Forte, na pousada que nos hospedamos, ficávamos durante o dia numa grande área em frente ao mar. Deitados, lendo, comendo, bebendo e olhando para o mar. Uma forma muito especial de descansar.

Todos os dias acordávamos cedo para fazer caminhada na praia e sempre via muitos bem-te-vi cantando nas árvores em frente ao mar. Eles compartilhavam a alegria do nascer do dia e da beleza do mar.

Num dia tranquilo, enquanto eu dei uma pausa na leitura, vi um sabiá pousado na cadeira da pousada, depois da cerca que separa o jardim da pousada da areia do mar. Peguei o celular e tirei algumas fotos.

Vejam que interessante! O mar, o bem-te-vi e nossa paz.


O bem-te-vi fica no escuro por que o mar brilha mais
e assim o foco fica no mar.
Mas aí está a beleza da foto.


O mar, os coqueiros e o bem-te-vi pousado na cadeira e olhando o mar.
Parecia a gente curtindo à praia e o mar.


O bem-te-vi vem para a cerca
e aparece mais.

Feliz com o Mar.



Depois de um tempo ele voa e começa a cantar.

Feliz com pequenas coisas.


E o bem-te-vi daqui da Vila Madalena também está feliz e cantando,
apesar da violência na cidade.

Um dia também voltaremos a cantar em São Paulo.

Ainda bem que existem os bem-te-vi, os sabiás e as flores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário