quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O Brasil sem futebol

E as mulheres sem compras

Nenhum governo sobrevive sem estas duas coisas.
Futebol para os homens e lojas para as mulheres saciarem suas fantasias...
O ser humano sem lazer enlouquece. É só fazer o teste nas prisões, nas escolas e nos locais de trabalho. O lazer renova o corpo e o espírito!

E no mundo moderno, a indústria do lazer se transformou no investimento mais rentável. As Olimpíadas, a Copa do Mundo, os megas shows e as maratonas, o mundo globalizado necessita também de atividades globalizadas. O Grande Tour de France com milhares de ciclistas percorrendo o país é acompanhado por todos os países.

Juntamente com os espaços de lazer, cresce em todo o mundo a presença dos” shopping”. O shopping combina espaço de lazer, com alimentação, compras, footing, estacionamento e segurança. Tudo num lugar só. Prático, seguro, embora caro.

A alternativa de lazer para multidões são os parques. Em São Paulo temos o Ibirapuera, o Parque do Carmo, o Villa Lobos, Aclimação, Morumbi e muitos outros menores.

Dependendo do prefeito ou governador, as ruas também são utilizadas como espaço de lazer. Tanto para ciclovias, como para caminhadas e também espaços para as crianças e idosos.

Depois da revolução industrial, quando o ser humano ficou escravo das máquinas, da revolução financeira quando a capacidade de produção se multiplicou e depois da revolução da informática que possibilitou a hegemonia do setor de serviços sobre o setor industrial e o setor rural, a importância do planejamento do lazer como condição de vida, passou a ser tão importante quanto ganhar dinheiro.

O pessoal das montadoras do ABC sabe muito bem o que acontece numa segunda-feira, depois que o Corinthians joga.
Se ganhou, é só alegria e boa produção.
Se perdeu...

Nenhum comentário:

Postar um comentário